terça-feira, 30 de abril de 2013

VENEZUELA: CÁTIA TVE COMPLETA 12 ANOS FAZENDO TELEVISÃO SOCIALISTA E COM O CORAÇÃO



O lema da emissora é “Não assista televisão... Faça-a!” (Foto: Minci)

Estima-se em torno de 300 o número de emissoras de rádio e TV afinadas com o chavismo, dentre os meios de comunicação alternativos e comunitários, um segmento importantíssimo na luta que a Revolução Bolivariana empreende contra a influência dos meios privados hegemônicos. São, como dizem lá, os comunicadores populares. A Cátia Tve é uma das mais fortes entre as comunitárias e um exemplo de criatividade revolucionária do movimento popular.

Por Alba TV (reproduzido do portal venezuelano Aporrea.org, postagem de 31/03/2013)

Caracas - 30 de março de 2013 - Há 12 anos foi ao ar uma emissora de TV que pregava “Não assista televisão... faça-a!”. Em 30 de março de 2001 foi habilitada a comunitária Cátia Tve, o canal 41 de UHF, convertendo-se na primeira deste tipo a legalizar sua transmissão.

Cátia Tve nasce no ano 2000, começa suas transmissões de forma clandestina, como evolução do Cineclube Manicômio, um centro cultural e político que esteve filiado à Federação Venezuelana de Centros de Cultura Cinematográfica.

O espírito desta comunitária é fazer televisão para o bairro, no bairro, com a gente do bairro. É por isso que se encontra na zona popular mais emblemática da cidade de Caracas, em Cátia, paróquia de Sucre,  oeste da capital (paróquia pode ser entendida como um enorme bairro, contendo vários outros menores. Caracas é dividida em 22 paróquias).

A história deste canal está estreitamente ligada à Revolução Bolivariana, uma vez que nasce ao calor de seus acontecimentos. A equipe de Cátia TV participou das discussões com representantes da Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) para a criação do Regulamento de Radiodifusão Sonora e Televisão Aberta Comunitária de Serviço Público, com a finalidade de regularizar as transmissões das chamadas “televisões clandestinas” e incentivar a criação das emissoras comunitárias de rádio e televisão na Venezuela, o que colocou o país como pioneiro em matéria de meios comunitários.

Os ataques contra a constitucionalidade, realizados pelas forças políticas da direita apoiadas nos meios de comunicação privados, não deixaram de fora os meios comunitários. Em 11 de abril de 2002, durante o golpe de Estado que derrubou por dois dias o presidente Hugo Chávez, sua transmissão foi suspensa. Depois da restituição da ordem constitucional volta a reiniciar suas transmissões até 10 de julho de 2003, quando o prefeito (da Alcaldía Mayor) de Caracas, Alfredo Peña, a desaloja de sua sede num hospital da cidade. Assim, somente a partir de 11 de julho de 2004 a Cátia TV inicia novamente suas transmissões com maior alcance na cidade e já na sede própria, um velho edifício de cor alaranjada, nas adjacências da estação Caño Amarillo (Amarelo), do Metrô de Caracas.

A equipe de Cátia TV jogou um papel importante durante a restituição do presidente constitucional, Hugo Chávez, logo que foi frustrado o golpe de Estado tentado pela oposição, em abril de 2002, emprestando sua experiência na reativação do sinal do canal do Estado (Venezuelana de Televisão-VTV), o único disponível com cobertura nacional que podia informar o que realmente ocorria nesses momentos de extrema tensão. (A VTV tinha sido tirada do ar pelos golpistas).

Cátia Tve não é simplesmente uma estação a mais de transmissão, é uma escola, é um ponto de encontro para as comunidades organizadas, é um lugar onde não se vê televisão, se faz. Sendo o emblema disto as Equipes Comunitárias de Produção Audiovisual Independentes (ECPAI).

As Ecpai são pequenos coletivos, formados nas instalações do canal, para que façam televisão com a comunidade, a partir da comunidade, para a comunidade. Seus integrantes não necessitam ser profissionais especializados, pois Cátia Tve se encarrega de lhes dar a capacitação, as ferramentas e o acompanhamento necessário para que realizem suas produções. O único requisito é ter vontade de trabalhar.

Hoje, 12 anos depois, é uma alegria ver o edifício alaranjado que abriga os homens e mulheres que fazem possível os sonhos audiovisuais da gente de Cátia, da gente do povo, da gente de Chávez.

Feliz aniversário irmãos, irmãs, compatriotas, camaradas… sigam fazendo a televisão comunitária, televisão humana, televisão socialista, televisão com o coração.

Tradução: Jadson Oliveira                                                        

CORREA DENUNCIA DUPLA MORAL DOS ESTADOS UNIDOS EM DIREITOS HUMANOS


Rafael Correa:quem nomeou Washington árbitro do bem e do mau para opinar sobre direitos humanos em outros países? (Foto: Joaquín Salguero)
O avanço da democratização da comunicação no Equador é um fato, conforme comunicado do governo. Dados oficiais: em 2007 existiam 1.178 meios de comunicação privados, 86 públicos e nem um só comunitário; enquanto hoje existem 1.315 meios privados, 327 meios públicos e 20 meios comunitários.

Quito, 29 abril (Prensa Latina) - O presidente equatoriano, Rafael Coreia, criticou a dupla moral na política dos Estados Unidos e perguntou quem nomeou Washington árbitro do bem e do mau para opinar sobre direitos humanos em outros países. Em seu recente relatório à cidadania, Correa destacou que o sistema eleitoral dos Estados Unidos é absolutamente imperfeito, e tudo está construído para perpetuar o mesmo esquema bipartidário.

Como muito sintomático criticou a rejeição do Senado dos Estados Unidos em 16 de abril passado à proposta dos dois principais partidos para ampliar a verificação de antecedentes de civis na compra de armas, projeto apoiado pelo presidente Barack Obama.

Com essa resolução, disse Correa, fica demonstrado que os políticos do Senado responderam ao capital e não a seus mandantes, que apoiavam a proposta depois da comoção que causou o massacre de 20 crianças de uma escola em dezembro de 2012.

O projeto apoiado pelo mandatário estadunidense não passou na Câmera Alta por 54 votos a favor e 46 contra, quando se requeria uma maioria de 60 sobre 100. Nessa decisão, comentou, quatro democratas somaram-se aos senadores republicanos, para frear a iniciativa, ato criticado por Obama ao considerar que votaram por medo a que a Associação Nacional do Rifle suprima seu apoio financeiro a esse partido.

Estados Unidos é o maior consumidor e exportador de armas no mundo, seguido do Reino Unido, cuja principal exportação são as armas.

"Por trás disto, está o imenso poder dos fabricantes de armas", disse Correa.

Por outra parte, o chefe de Estado equatoriano declarou nesta sexta-feira que o governo vai continuar lutando contra a mentira ao se referir aos relatórios de Transparência Internacional e da Relatoria para a Liberdade de Expressão da CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos), o que qualificou como um "adefesio" (despropósito, disparate).
 

Rumo a uma verdadeira liberdade de expressão para todos

Equador conseguiu grandes avanços em matéria dos direitos da comunicação para uma verdadeira liberdade de imprensa, e a democratização da comunicação é um fato, afirmou o governo no domingo em um comunicado.

No ano de 2007 existiam 1.178 meios de comunicação privados, 86 públicos e nem um só comunitário; enquanto hoje existem 1.315 meios privados, 327 meios públicos e 20 meios comunitários.

A Secretaria de Comunicação do Equador comemora neste 3 de maio o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa e, recalcou, soma-se à mesma no afã de conscientizar nacional e internacionalmente sobre a importância e o direito a uma verdadeira liberdade de expressão para todos.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

VEJA ATACA O PT E A DEMOCRACIA

Por Altamiro Borges, do Blog do Miro, de 28/04/2013

A edição desta semana da revista Veja é mais uma peça de propaganda das forças golpistas do país. Ela estampa na capa uma jovem mulher, representando o Poder Judiciário, sendo crucificada na estrela petista. A manchete é apocalíptica: “O ataque à Justiça”. A chamada é leviana: “Para escaparem da cadeia, os réus e os radicais do PT desafiam a Constituição e a harmonia entre os poderes”. Na reportagem interna, o panfleto da famiglia Civita sataniza a “República Bolivariana do Brasil”.

O motivo de tamanho terrorismo é a polêmica que se estabeleceu na semana passada entre o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) acerca de um projeto em tramitação sobre a fidelidade partidária. A Veja defende os ministros do STF, que não têm mandato popular e se metem em tudo, e ataca os deputados e senadores eleitos pelo povo.

Para ler mais:

LOUCOS (parte 2)



Robert Goddard previu que um foguete poderia funcionar fora da atmosfera e foi arrasado pelo The New York Times; 49 anos depois, o cientista já morto, o jornal se retratou de maneira simplesmente injusta (Foto: Internet)
Por Adrián Paenza, jornalista, matemático e professor argentino (reproduzido do jornal argentino Página/12, edição de 13/02/2013)

Outro caso incrível é o de Barry Marshall, um médico australiano, que foi quem descobriu em 1984 que a maioria das úlceras é causada por uma bactéria (Helicobacter pylori) e não pelo estresse, como todo mundo acreditava até ali. Seus colegas não acreditavam e Marshall via como a vida de muitíssimas pessoas poderia ser salva simplesmente tomando o antibiótico adequado. Como Marshall não conseguia contaminar um animal e o tempo ia passando, tomou uma medida drástica: decidiu usar ele mesmo como parte do experimento! Preparou uma mistura que continha a bactéria, colocou num recipiente e bebeu. Marshall escreveu em sua autobiografia que nunca imaginou que adoeceria tão gravemente, mas a confiança que tinha na solução lhe permitiu avançar dando um passo tão brutal. Mesmo depois, já curado e com centenas de exemplos de pacientes que, desesperados, aceitaram o tratamento ainda não aprovado, a comunidade médica insistia em continuar pondo reparos. Mas tudo bem: mais tarde, em 2005, Marshall recebeu então o Prêmio Nobel de Medicina por suas contribuições.

A matemática também tem vários exemplos para apresentar, porém o mais destacado é o de Georg Cantor. Cantor nasceu em São Petersburgo, mas viveu a maior parte de sua vida na Alemanha. Foi o inventor da Teoria dos Conjuntos mas, ademais disso, sua vida se transformou num calvário porque a sociedade matemática, encabeçada por Leopold Kronecker, não pôde aceitar sua descoberta de que havia infinitos maiores do que outros. Tal foi o desprezo que sofreu em sua época que terminou internado num hospício, acreditando estar louco e aceitando – virtualmente – a condenação dos que estavam equivocados. Cantor havia escrito no momento de sua descoberta: “Estou vendo, mas não acredito”. Hoje, seus trabalhos são considerados pioneiros e suas conclusões são estudadas em todos os departamentos de matemática do mundo.

Quero terminar, por enquanto, com o caso de Robert Goddard, um físico norte-americano que foi o primeiro a projetar e construir um foguete com combustível líquido. Isso aconteceu no ano de 1926. A essa altura, os cientistas pensavam que seria impossível construir o que hoje seria um foguete que leva um satélite ao espaço. Goddard pensava algo diferente, a tal ponto que escreveu que o homem seria capaz de sair da atmosfera e alunar (alunissar, pousar na lua). A reação provocada por sua previsão foi tão virulenta que o próprio The New York Times publicou um artigo no qual criticava duramente Goddard por dizer que um foguete poderia funcionar fora da atmosfera porque no vácuo (vazio) não teria “nada contra o que impulsionar”. Pior ainda: o arrasaram por desconhecer o que o jornal chamou “Física de colégio secundário”.

Goddard decidiu ficar recluso e continuar trabalhando sem responder. Afinal: quando Goddard já tinha morrido, 49 anos depois, The New York Times escreveu: “Investigações posteriores permitiram confirmar os resultados de Newton do século 17, e agora se estabeleceu que um foguete pode funcionar tanto na atmosfera como no vácuo. The New York Times lamenta o erro”. Assim. E nada mais.

E nada mais, por enquanto. Em mais de 45 anos como professor, há uma coisa que aprendi para sempre: escutar alguém que tem uma ideia, ainda que pareça equivocada ou, em todo caso, que me pareça equivocada. Muitas vezes topei com estudantes que me fizeram ver que quem não entendia era eu. Isso, creio que vale a pena escutar, e sobretudo em se tratando de crianças. (Continua - parte 1 foi postada dia 26/abril)

Tradução: Jadson Oliveira

CRISTIANO RONALDO E ISRAEL: "NÃO TROCO MINHA CAMISA COM ASSASSINOS"

Cristiano Ronaldo deixa o campo sem trocar sua camisa com jogador israelense
Matéria reproduzida do portal Vermelho, postagem de 22/04/2013

Ao final da partida entre Portugal e Israel pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 em 22 de março, o jogador português Cristiano Ronaldo recusou-se a trocar sua camisa com a de um jogador de Israel. Questionado sobre a recusa, afirmou: "Não troco minha camisa com assassinos". O jogo terminou empatado em três gols.  

Após o apito final, o camisa sete teria sido procurado por um dos israelenses para a troca de camisa. A razão apresentada ao jogador israelense foi que, no uniforme, existe uma bandeira de Israel bordada. A declaração mais dura, mencionando a palavra "assassinos", teria sido registrada no vestiário após o jogo de sexta-feira (22), quando jornalistas perguntaram ao jogador o motivo de ter recusado a troca de camisas. (A matéria mencionava no primeiro parágrafo a data 25 de março e aqui, no segundo, sexta-feira, 18; creio que deve ter sido equívoco: mudei ambas as datas para dia 22, realmente sexta-feira, conforme registra o portal venezuelano Aporrea.org).

A foto apresentada pelo Nouvelles d'aujourd'hui mostra outro jogador português carregando uma camisa da seleção de Israel, sem flagrar a polêmica.

Mas o vídeo é bastante claro:



Em março, antes da partida entre as duas seleções, uma guerra virtual havia sido provocada por uma mensagem postada pelo jogador português nas redes sociais. Na ocasião, ele publicou uma foto em uma praia em Telavive com Miguel Veloso, Pepe e Silvio Sá Pereira com a legenda: "Uma bela manhã em Israel com os meus colegas".

Na ocasião, os críticos foram os simpatizantes da causa palestina, que pediram retratação de Cristiano Ronaldo. A rigor, a cidade em questão é a sede administrativa do governo de Israel (a capital oficialmente é Jerusalém), mas os autores das críticas são pessoas que consideram ilegítima a criação desse Estado, estabelecido pela Organização das Nações Unidas em 1948.

Entidades de educação palestinas e vítimas de bombardeios israelenses chegaram a receber os recursos da venda das chuteiras de ouro do atleta português em novembro de 2012. O bem, obtido em 2011 por ter sido eleito o melhor jogador da temporada, era estimado em 1,4 milhão de euros.

Fonte: Blog Futepoca, com informações do Street Nouvelles d'aujourd'hui.

domingo, 28 de abril de 2013

JOHN PILGER: GUERRA CONTRA A DEMOCRACIA (documentário)


"Excelente documentário de John Pilger sobre a atividade imperialista e intervencionista dos EUA na América Latina" - da apresentação no YouTube.

Reproduzido a partir do blog Vi o Mundo.

AJUDE A CONHECER OS BASTIDORES DA GLOBO NA ELEIÇÃO (Participe do Viomundo)

O blog Vi o Mundo, um dos mais importantes dos nossos blogs "sujos", dirigido pelos jornalistas Luiz Carlos Azenha e Conceição Lemes, está aberto à contribuição de quem quer ajudar a lutar contra a ditadura midiática da imprensa hegemônica no Brasil, atrelada aos ideais e interesses da direita e, consequentemente, do império estadunidense.

Além da contribuição financeira ao sítio, de modo geral, você pode contribuir, especificamente, para a feitura de determinados reportagens/livros/documentários. No momento há cinco desses trabalhos na pauta: bastidores da Globo na eleição, a invasão dos planos de saúde vagabundos no Brasil, documentos da CIA sobre o golpe de 1964, o terror dos madeireiros contra os índios Awá Guajá e assassinatos no Araguaia.

Clicar aqui para ver como a coisa está organizada:

sábado, 27 de abril de 2013

1964 - UM GOLPE CONTRA O BRASIL (documentário)

Assista e baixe o documentário. O Núcleo de Preservação da Memória Política e a TVT - Televisão dos Trabalhadores disponibilizaram o documentário 1964 - Um golpe contra o Brasil na internet, em duas versões: completa e dividida em 10 capítulos - para facilitar a utilização por professores e organizações interessadas em debater o golpe de Estado.

Clicar aqui para ter acesso a todo o material no portal  Rede Democrática. Tem também um link para entrevista com o diretor do filme, o jornalista Alípio Freire, que foi militante da Ala Vermelha e preso pela ditadura.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

LOUCOS (parte 1)



Nikola Tesla, gênio da engenharia mecânica e eletrotécnica, inventou, dentre outras coisas, a "lâmpada elétrica" e morreu pobre; enquanto isso, Thomas Edison, o farsante explorador, ficou rico (Foto: Internet)
Por Adrián Paenza, jornalista e matemático argentino (reproduzido do jornal argentino Página/12, edição de 13/02/2013)

A história mostra que sempre foi difícil pensar diferente. De vez em quando aparece alguém com uma ideia diferente e revoluciona tudo. Imediatamente aparece a etiqueta: é um louco, está louco. Justamente, marcados como loucos por seus contemporâneos, essa mesma história oferece múltiplos exemplos de mulheres e homens que lutaram contra a corrente. Muitos deles receberam um reconhecimento quando já não viviam para poder desfrutá-lo, ou viram como outros, mais poderosos, mais próximos ao establishment, mais “conhecidos”, ficaram com um crédito que não lhes pertencia.

O caminho mostra também o quanto influenciaram as diversas igrejas, e muito em particular a católica, para questionar, obstaculizar, entorpecer e atrasar a evolução do ser humano.

O que segue é parte dum périplo que Arthur Schopenhauer definiu muito bem: “A verdade passa por três estágios. Primeiro, é ridicularizada. Segundo, enfrenta uma violenta oposição. Terceiro, é aceita e se torna evidente (óbvia)”.

Suponho que é bom começar com Nicolás Copérnico, matemático, astrônomo, jurista, médico e vá se saber o que mais numa época em que estava virtualmente tudo por se descobrir. Copérnico defendeu em 1543, muito pouco tempo antes de sua morte, que era o Sol e não a Terra o centro do Universo. Pagou caro imediatamente quando seus amigos protestantes o tacharam de arrogante, presunçoso, “um louco que acredita que tem o direito de ‘pôr em movimento a Terra’ (sic) e ‘deter o Sol’”.

Mas não foi Copérnico quem sentiu o verdadeiro castigo por colocar em dúvida o geocentrismo, e sim Galileo Galilei, outro matemático, astrônomo e filósofo que hoje é considerado algo assim como “o pai da astronomia moderna”. Galileo foi quem sofreu o escárnio público e terminou vítima da brutal Inquisição romana em 1615, humilhado e finalmente encarcerado em sua casa pelo resto de sua vida, obrigado a se retratar e tachado de herege. Como poderia alguém ousar discutir as crenças papais e da Igreja?

Um curiosíssimo caso que mostra a diferença entre aquele que está junto do círculo do poder e aquele que não está é o que envolve George Zweig e Murray Gell-Mann. Os dois são físicos, os dois estão vivos. Zweig é russo nacionalizado norte-americano, enquanto que Gell-Mann é nascido em Nova Iorque. Os dois, trabalhando de forma independente, descobriram que havia partículas elementares menores do que os nêutrons e os prótons. Zweig os chamou “aces” enquanto Gell-Mann lhes deu o nome com o qual são conhecidos atualmente: quarks. Mas enquanto a comunidade científica invisibilizou Zweig porque era um desconhecido, publicou o trabalho de Gell-Mann porque ele sim fazia parte do circuito oficial, do establishment científico. E tanto foi assim, que cinco anos depois, em 1969, Gell-Mann recebeu o Prêmio Nobel de Física, distinção que não chegou até Zweig, que no momento em que escreveu sobre a mesma descoberta foi ridicularizado e acusado de charlatão.

Outro caso típico foi do famoso Nikola Tesla, engenheiro de origem sérvia, que teve que concorrer com ninguém menos do que Thomas Alva Edison. Numa época (fins do século 19) quando o mundo se iluminava usando a luz de vela, Tesla inventou um sistema elétrico (“a corrente alternada”) que é o que se usa até hoje para se ter eletricidade na sua casa e na minha. Edison propôs o uso da corrente direta ou contínua e disputou com Tesla, que foi o propulsor da corrente alternada, que é a que se usa hoje.

A história oficial atribui a Edison a invenção da “lâmpada elétrica”, porém não foi ele quem a inventou, e sim Tesla. Edison ficou com todo o crédito porque foi ele quem a distribuiu e a vendeu.

Edison tinha (e teve) sempre a faca e o queixo na mão, na medida em que foi o patrão de Tesla, mas Tesla tinha razão e não pôde em vida receber o reconhecimento que merecia. Tesla é considerado hoje um dos maiores inventores da história. Ainda está em discussão se foi ele e não Marconi quem inventou o rádio, mas deram a Marconi o Prêmio Nobel e a Tesla não. E mais ainda: a história oficial também diz que Robert A. Watson-Watt foi o inventor do radar, mas a outra história reconhece Tesla como o autor intelectual.

Inclusive Edison ofereceu a Tesla, que era seu empregado, em determinado momento, o equivalente ao que seria atualmente um milhão de dólares se ele conseguisse resolver um problema que tinha com os motores e geradores de sua fábrica. Tesla conseguiu e quando foi reclamar seu dinheiro recebeu esta resposta de Edison: “Tesla, você não entende o sentido do humor dos norte-americanos”. Edison viveu sua vida tratando de ganhar dinheiro e patenteando invenções de outros. Tesla foi um cientista que inventou – entre outras coisas – nada menos que o sistema elétrico que usamos hoje. Edison morreu rico e poderoso. Tesla morreu no quarto dum pequeno hotel em Nova Iorque sem um dólar e cheio de dívidas. (Continua) 

Tradução: Jadson Oliveira

quinta-feira, 25 de abril de 2013

LUTAMOS POR UMA SOCIEDADE MELHOR PARA TODOS

Um dos líderes da guerrilha urbana, o jornalista Cid Benjamin (foto) está prestes a lançar o livro 'Gracias a la Vida'. Ele diz que se pudesse voltar no tempo faria tudo de novo, mas de outra forma

Por Caio Barbosa, no portal Rede Democrática, postagem de 22/04/2013

Rio - O DIA: Por que lançar um livro só agora, tanto tempo depois da prisão?

CID: As pessoas me cobram este livro há muito tempo por uma série de motivos. E eu adiava porque não queria fazer só um relato, mas uma espécie de reflexão sobre uma série de questões. E como eu não tinha tempo nem pressa e não me sentia em condições de fazer como eu queria, o livro está saindo só agora.

Da maioria dos ex-companheiros, pelo menos os mais conhecidos, como o Fernando Gabeira e o (ex-ministro) Franklin Martins, você é um dos poucos que se mantêm em defesa do socialismo.

Mudei algumas concepções, mas no essencial eu continuo no mesmo lado onde estava. Hoje, dou um peso maior à democracia, até porque acho que ela não enfraquece o socialismo. Muito pelo contrário. Ela valoriza e enriquece a proposta socialista.

(...)

Apesar de ter sido fundador do PT e um dos coordenadores da campanha do Lula na histórica eleição de 1989, você diz no livro que o melhor para o país teria sido a eleição de Leonel Brizola. Por quê?

Pela educação. Acho que ela tem de ser prioridade em qualquer governo, de esquerda ou direita. Isso não tem a ver com o socialismo e não necessariamente vai ameaçar as classes dominantes. Se o PT tivesse revolucionado a educação fundamental nestes 11 anos, já teria sido um legado enorme. Mas nunca fizeram isso. Aliás, não há quem cite neste governo uma única medida que tenha contrariado o interesse das classes dominantes, dos bancos, dos empreiteiros, das multinacionais e do agronegócio.


Acréscimo do Evidentemente: Segundo informações colhidas na Internet (Wikipédia), Cid Benjamin, além de jornalista, é político (candidatou-se pelo PSOL a deputado estadual no Rio de Janeiro em 2006) e professor. Completa 65 anos este ano. Nos anos 60/70 participou da guerrilha urbana contra a ditadura. Foi militante do MR-8 (Movimento Revolucionário 8 de Outubro, data - de 1967 - em que Che Guevara foi morto na Bolívia). Em 1969, com 21 anos de idade, participou do sequestro do embaixador estadunidense Charles Burke Elbrick. Foi preso, torturado, exilado e anistiado. 

A FARSA DO MENSALÃO: LANÇAMENTO DA REVISTA "RETRATOS DO BRASIL" EM SALVADOR

Transcrevendo: "O jornalista Raimundo Pereira, conhecido por editar o jornal Movimento, o alternativo que enfrentou a censura e combateu a ditadura militar, é autor da reportagem que desmente o STF e revela, passo a passo, como a farsa jurídica do mensalão foi construída".

quarta-feira, 24 de abril de 2013

"O BANQUEIRO É ESSE SUJEITO QUE TE EMPRESTA O GUARDA-CHUVA QUANDO FAZ SOL E TE TIRA QUANDO CHOVE"

Rafael Correa deu seu recado apesar do esforço da repórter em defender os bancos e as corporações da mídia hegemônica (Foto: Rede Democrática)
Entrevistado pela rede espanhola de televisão TVE, o presidente do Equador, Rafael Correa, fez um debate tenso com a jornalista Ana Ibáñez, discutindo temas como a lei de mídia em seu país e a crise europeia.

Por Pepe Mejía, reproduzido de Rede Dmocrática, postagem de 24/04/2013

O programa 24horas, da televisão estatal espanhola TVE, entrevistou o presidente do Equador, Rafael Correa, que tocou em todos os assuntos, apesar da oposição militante da jornalista Ana Ibáñez, que em muitos momentos da entrevista se alinhou com os argumentos do capital financeiro e em defesa do governo de Rajoy.

O presidente Correa iniciou sua intervenção com uma interessante e esplêndida exposição sobre os motivos econômicos da atual crise. Colocou o dedo na ferida ao apontar a dívida como a dificuldade principal para a mudança de sistema. Também não se calou em sua crítica aos bancos e seu papel nos tempos de "bonança".

Foi genial ao proferir esta frase: "O banqueiro é esse sujeito que te empresta o guarda-chuva quando faz sol e te tira quando chove". Explicou muito bem o que aconteceu na América Latina quando os bancos retiraram os créditos ao desenvolvimento e disse que isso é o mesmo que está acontecendo agora na Europa.