terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Picaretagem nos blogs

De Salvador (Bahia) – (Como minhas “férias” na Bahia estão se acabando, começo, devagar, a reativar meu blog, transcrevendo alguma coisa da minha revista favorita. Poderia se chamar Pérolas da Caros Amigos 2, pois já usei o título anteriormente. É uma nota intitulada Alucinaram a internet, da seção Entrelinhas - a mídia como ela é, de Hamilton Octavio de Souza – edição 154, de janeiro/2010):

“Alguns jornalistas blogueiros descobriram o ‘meio’ ideal para seus negócios privados, em especial para conseguir ‘patrocinadores’ não revelados ao público. Muitos estão mamando nas férteis tetas do governo federal sem pagar pedágio às empresas jornalísticas de antes. Adotaram o discurso chapa-branca ufanista, a crítica superficial à mídia neoliberal, mas continuam defensores incondicionais do capitalismo. É gente de direita que se passa por ‘independente’ no novo papel de ‘orientador’ virtual do lumpezinato da classe média. O que importa é cacifar o próprio caixa, não o jornalismo comprometido com a transformação social e a melhoria das condições de vida do povo. Os ‘pastores’ da nova seita pregam a ‘revolução’ internética da comunicação, criam a ilusão de que o novo ‘meio’, nas mãos deles, tem tudo a ver com a construção de uma nova sociedade mais democrática; e de outra realidade na qual a ‘participação’ virtual dos seguidores substituirá em definitivo o conflito social real e a luta de classes. O mundo é mesmo dos espertos.”

MUDARAM O OBAMA - Da mesma edição da Caros Amigos, do artigo A falsificação da história 3, de autoria de Gershon Knispel:

“...Enquanto a maioria dos americanos deu os seus votos ao primeiro candidato negro que conseguiu entrar na Casa Branca, prometendo mudar Washington pela base, em menos de um ano Washington mudou Obama. E meu amigo José Arbex tinha razão quando classificou Obama, ainda no meio da campanha eleitoral, como ‘o falso brilhante’.

Quando Obama consente, pelo silêncio, a ampliação das colônias judaicas na Cisjordânia, parece que a construção de um Estado palestino é menos real do que nos tempos de Bush. Menos de dois meses depois que a maioria das nações do mundo não reconheceram o golpe em Honduras, Obama deu o seu apoio tácito ao governo golpista e Zelaya foi atirado aos cães...”