Páginas

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2020

JESSÉ SOUZA: NOSSA INTELIGÊNCIA NEM PERCEBE A ESCRAVIDÃO COMO A NOSSA SEMENTE SOCIAL MAIS IMPORTANTE


“Nossa classe média não apenas explora economicamente as classes abaixo dela, ela humilha covardemente os mais frágeis...”



“Alguém viu a classe média em massa nas ruas, protestando contra a corrupção de partidos de elite?”



Por Jessé Souza (sociólogo) – trecho do livro ‘A classe média no espelho’, editora Estação Brasil, páginas 72/73/74 (título e destaques acima são da edição deste blog)



(...)



A classe média brasileira herda o abuso e o sadismo de seus avós, e um dos motivos para isso é que nossa inteligência cooptada e colonizada nem sequer percebe a escravidão como a nossa semente social mais importante. A balela do patrimonialismo, e da corrupção como se fosse atributo apenas do Estado e da política, assume o lugar principal e subordina, relega ao esquecimento e torna supérflua essa herança maior. Mais uma vez: quem não sabe quem é nunca pode se autocriticar, e quem não se critica nunca aprende nada. Nossa classe média não apenas explora economicamente as classes abaixo dela, ela humilha covardemente os mais frágeis, os esquecidos e abandonados tanto por ela, classe média, quanto pela “elite do atraso”.



Pior ainda, extrai tanto prazer dessa opressão que sai às ruas toda vez que a política pretende diminuir a abissal distância entre as classes, ainda que com o pretexto do moralismo de fachada contra a “corrupção seletiva” só da política e só da “esquerda”. Somente contra os partidos das classes populares a classe média revoltada sai às ruas, nunca contra os partidos da elite dos proprietários. É isso que a faz tão dócil e manipulável.



Outras sociedades, como a francesa após a Comuna de Paris, em 1871, decidiram incluir, por meio do sistema escolar republicano, a parcela da sua população abandonada à própria sorte ou azar. A inclusão dos humilhados sempre é uma decisão política e moral, e nunca consequência apenas do desenvolvimento econômico, como se comprova no Brasil. Entre nós, a elite e a classe média preferem ignorar essa situação secular e continuar explorando e humilhando os mais frágeis.



A causa de todos os golpes de Estado, em especial o de 2016, nunca teve nada a ver com a corrupção. Por que apenas a suposta corrupção petista incomoda a classe média, e não a dos outros partidos, mesmo quando comprovada em gravações exibidas na TV? Alguém viu a classe média em massa nas ruas, protestando contra a corrupção de partidos de elite? Nunca vi ninguém mostrar sua revolta nas ruas pela corrupção, por todos sabida, por exemplo, do PSDB. E você, leitor ou leitora, já viu?



Então vamos ter a coragem de assumir que o que de fato incomoda a classe média escandalizada não é e nunca foi a corrupção. Um dos objetivos centrais deste livro será precisamente explicar o que incomoda de verdade a classe média.



(...)

Nenhum comentário: