Páginas

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

VÃO DAS PALMEIRAS: QUILOMBO BOM DE SERVIÇO E DE CULTURA

Festa com o Terno de Reis em 6 de janeiro (Foto: Smitson Oliveira - Seabra/Chapada)

A associação dos moradores e o grupo de jovens, com o apoio da comunidade, mobilizam-se na busca e realização de melhorias materiais e espirituais. E já contam com um balanço positivo.

Por Jadson Oliveira – jornalista/blogueiro – editor da Blog Evidentemente

A comunidade dos quilombolas de Vão das Palmeiras (município de Seabra, Chapada, interior da Bahia), através do trabalho de sua associação, em parceria com o grupo de jovens (Jovens em Ação), vem conseguindo algumas realizações notáveis, tanto na área dos serviços públicos, como no campo cultural.

Um balanço feito a partir de 2012, com a associação sob a presidência de João Batista dos Santos e atualmente de Selma Marques, dá conta da execução de várias obras. Como a abertura de ruas e estradas - a exemplo da que liga o quilombo ao povoado Capão das Gamelas -, bem como a ampliação da iluminação pública, benefícios obtidos a partir de gestões junto à prefeitura do município, conforme informações de João Batista, hoje compondo a diretoria da entidade como tesoureiro, e de representantes do grupo de jovens.

Com o reconhecimento e certificação pela Fundação Palmares (órgão do Ministério da Cultura), em 2005, como comunidade remanescente de quilombo, Vão das Palmeiras pôde usufruir de políticas públicas inclusivas e se beneficiar de programas do governo federal como Minha Casa Minha Vida, Luz para Todos e cotas raciais no ensino público.

A parceria com o grupo de jovens é destacada por João Batista, resultando no maior dinamismo dos eventos na área cultural, como é o caso do Encontro da Consciência Negra, realizado todo 20 de novembro (em 2018 foi a sua quinta edição).

As representações teatrais, que são feitas inclusive nos povoados circunvizinhos, vêm ganhando força e aprendizado, especialmente através da participação da juventude: as peças procuram debater os diversos temas abordados, como já aconteceu com as encenações sobre a dengue, o meio ambiente e as nascentes dos rios, que sobrevivem sob permanente ameaça.

Há ainda atividades como o ensino e prática da capoeira, que tinham sido suspensos e serão retomados; e o curso de artesanato, realizado através do sindicato dos trabalhadores rurais de Seabra, de cuja diretoria João Batista faz parte. Há também a proposta, em fase de preparação, de desenvolver hortas coletivas, a serem tocadas pelo grupo de jovens.

No ano passado, foi resgatada a via sacra pelas ruas do quilombo, durante a Semana Santa, um evento que remonta a velhas tradições e que tinha sido abandonado há 30 anos.

Outra tradição forte, que se mantém, é o Terno de Reis, que no último dia 6 completou, com animados festejos, suas cantorias iniciadas em 25 de dezembro, se apresentando também nos distritos e povoados das redondezas, inclusive na sede em Seabra.

A Associação dos Remanescentes de Quilombo do Vão das Palmeiras tem 380 filiados. O quilombo mede 1.023 hectares, reúne 430 famílias, tendo em torno de 1.000 habitantes, levando em conta os moradores mais permanentes.

PS: Participaram da entrevista, representando a coordenação do grupo de jovens, Maiara Cassimiro, Flávia Macedo e Poliana Santos.

Os vizinhos mais próximos do quilombo são os distritos de Velame e Baraúnas.

O nome oficial do sindicato mencionado é Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Agricultura Familiar de Seabra.

Um comentário:

jadson oliveira disse...

Ao falar, na matéria, da abertura de estradas, exemplificando com a que liga "o quilombo ao povoado Capão das Gamelas", o correto seria me referir ao quilombo Capão das Gamelas, um outro quilombo, portanto. De fato, Capão das Gamelas (assim como Vão das Palmeiras) é um dos 11 quilombos do município de Seabra reconhecidos e certificados pela Fundação Palmares, órgão do Ministério da Cultura.
A observação me foi feita pelo companheiro Goiano (José Donizette - da coordenação do Projeto Velame Vivo), conhecido ativista da Chapada Diamantina, interior da Bahia, ligado a movimentos sociais e políticos de Seabra e região. Ele tem ligações com os quilombolas e foi fundamental nos contatos para elaboração de matérias produzidas para este meu blog.