terça-feira, 22 de março de 2016

OS COLOMBIANOS (E TAMBÉM VENEZUELANOS) ANDAM DE “BUSETA”

(Foto: Jadson Oliveira)
Uma vez eu estava em Caracas lendo o jornal Últimas Notícias e me deparei com o título: “Em ‘tal bairro’ as pessoas estão cansadas por falta de ‘busetas’”. E eu, lá no meu quartinho alugado, solitariamente, murmurei para mim mesmo: “E eu também, mas com ‘c’”.

Por Jadson Oliveira (jornalista/blogueiro), editor deste Blog Evidentemente – reproduzido do site Dia e Noite no Ar, de 15/03/2016

De São Paulo (SP) – Estou chegando a São Paulo, depois de 10 dias em Bogotá, e registro aqui para meus leitores do diaenoitenoar.com.br uma particularidade do transporte coletivo, um setor fundamental das grandes cidades.

O que mais vi pela capital colombiana (como tinha ocorrido em Caracas, onde já passei duas bem mais longas temporadas) foram as chamadas “busetas” – são ônibus pequenos, um pouco maior do que as “vans” de Salvador-Bahia (a palavra vem de “bus”, ônibus em inglês e também em espanhol, sendo que no espanhol se pronuncia “bus” mesmo, como diríamos no nosso português).

O detalhe picante – daí este comentário – é que este “s” no espanhol tem o som de “c” (de forma predominante, na fala espanhola da nossa América do Sul não existe o som de “z”, como no português – “mariposa” se diz “maripoça”, “esperanza” se diz “esperança”, “buseta” se diz...).

Só por curiosidade, conversei um pouco com uma senhora em Bogotá sobre as tais “busetas”. Ela, óbvio, falando na maior naturalidade (e eu também) o que na minha mente soava como um enorme palavrão.


Pois é, também é assim na Venezuela, país que tem fronteira com a Colômbia. Uma vez eu estava em Caracas lendo o Últimas Notícias, o jornal diário de maior circulação no país, e me deparei com o título: “Em ‘tal bairro’ as pessoas estão cansadas por falta de ‘busetas’”. E eu, lá no meu quartinho alugado, solitariamente, murmurei para mim mesmo: “E eu também, mas com ‘c’”.

Nenhum comentário: