quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

CUBA PREPARA CELEBRAÇÕES PELO 57º. ANIVERSÁRIO DA REVOLUÇÃO

(Foto: Prensa Latina)
Mais de meio século depois, apesar da permanência do bloqueio dos Estados Unidos - o mais longo da história - a nação caribenha desenvolve um processo de atualização do modelo econômico e social.

Da agência de notícias Prensa Latina, de 31/12/2015

Havana - Os cubanos terminam hoje preparativos de diversas atividades em cumprimento ao aniversário 57 do triunfo da Revolução, e para celebrar a chegada de 2016.

Como a cada ano, às 12 da noite se realizará a habitual cerimônia militar que inclui disparos de 21 salvas de artilharia desde a fortaleza de San Carlos da Cabana, à entrada da baía de Havana.

Também com motivo das efemérides, o Ballet Nacional de Cuba (BNC) prepara para os dias 1 e 3 de janeiro uma festa no Grande Teatro de Havana Alicia Alonso, o qual reabrirá suas portas nesse dia, depois de sua restauração.

No espetáculo se apresentará o segundo ato do lago dos cisnes, peça com coreografia da prima bailarina absoluta Alicia Alonso sobre a original de Lev Ivanov e música de Piotr Ilich Chaikovski.

Sob o título Tríptico Clássico, o programa do BNC inclui ademais o primeiro ato de Giselle, inspirado em uma lenda popular alemã recolhida pelo poeta e ensaísta Heinrich Heine, e o terceiro de Coppélia.

Para os cubanos, o 1º. de janeiro de 1959 representou o fim do regime ditatorial de Fulgêncio Batista e o início de uma etapa de transformações em benefício da maioria da população.

Mais de meio século depois, apesar da permanência do bloqueio dos Estados Unidos - o mais longo da história - a nação caribenha desenvolve um processo de atualização do modelo econômico e social para garantir a continuidade e o fortalecimento do sistema socialista adotado em ara do desenvolvimento nacional.

A vontade de continuar esse caminho foi ratificada no dia 29 de dezembro pelo presidente Raúl Castro ao intervir em sessão plenária do Parlamento, para o qual chamou a elevar a produtividade, eficiência, controle e poupança dos recursos da nação.

Afirmou que apesar de que o Produto Interno Bruto nacional crescerá uns dois por cento, a um ritmo mais lento, no próximo ano, se manterão as conquistas de benefício social da Revolução.

Cuba situa-se como um país de alto desenvolvimento humano como resultado das sustentadas políticas de bem-estar social implementadas, e cumpriu grande parte dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas.

Atingiu metas – a de Número Um (erradicar pobreza extrema e a fome), Dois (conseguir ensino primário universal), Três (promover igualdade entre os gêneros e empoderamento da mulher) e Quatro (reduzir a mortalidade das crianças menores de cinco anos) -, e  trabalha para especificar as restantes.

Nenhum comentário: