segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

ATOS PELO IMPEACHMENT FORAM FRACOS: ALEXANDRE FROTA VAI À PAULISTA COMO "ARTISTA DO BEM"

(Foto: Twitter/Viomundo)
As manifestações em defesa do impeachment da presidenta Dilma Rousseff foram um fracasso neste domingo 13, dia em que se “comemora” a implantação do AI5  na ditadura militar.

TV Globo, Abril, Folha e Estadão prepararam cobertura especial, mas...

Reproduzido do blog Viomundo - o que você não vê na mídia, de 13/12/2015

Um fracasso numérico relativamente aos protestos anteriores, especialmente agora que Eduardo Cunha abriu o processo de impeachment na Câmara e elegeu uma chapa majoritariamente da oposição para conduzí-lo.
O processo encontra-se sob judice no STF.
Como aconteceu anteriormente, o sistema GAFE — Globo, Abril, Folha, Estadão — preparou cobertura especial.
Propagou hora e lugar das manifestações. Faz acompanhamento ao vivo, o que funciona como atrativo para quem pretende apenas aparecer.
Folha preparou uma edição “especial” trazendo uma pesquisa segundo a qual 68% dos brasileiros dizem não ter mudado de vida depois de 13 anos do PT no Planalto.
Isso não constitui “crime de responsabilidade” da presidenta Dilma, portanto é apenas uma forma subliminar de apoio ao golpe.
A cobertura começou cedo na GloboNews. Como sempre, é o “esquenta” nacional para terminar em São Paulo, depois de um dia todo de transmissão ao vivo que chama as pessoas às ruas.
Na capital paulista, manifestantes se misturam agora àqueles que foram passear na avenida, fechada para automóveis aos domingos.
O caminhão e o palanque dos manifestantes simplesmente fechou a ciclofaixa utilizada por milhares de pessoas aos domingos.
Alexandre Frota apareceu na Paulista se dizendo “artista do bem”. Fernando Henrique Cardoso e Geraldo Alckmin, apoiadores do impeachment, não apareceram.
Em São Paulo compareceram José Serra, Aloysio Nunes Ferreira e o candidato à Prefeitura João Dória.
Aécio Neves não compareceu ao minúsculo evento de Belo Horizonte. Eduardo Cunha não foi ao protesto — nem em Brasília, nem no Rio de Janeiro, ambos menores que os anteriores.
A deputada federal Jandira Feghalli, do PCdoB, resumiu no twitter a atuação da “GolpeNews”: muitas imagens fechadas nos repórteres, para não mostrar vazios. Internautas denunciaram que a GloboNews não dedicou cobertura equivalente ao vivo às marchas das Mulheres Contra Cunha ou aos estudantes secundaristas de São Paulo.

2 comentários:

Carmela disse...

Essa imprensa racha minha cara de vergonha. A GloboNews assumiu abertamente uma posição contra o PT e a Presidente. Pessoalmente não tenho mais nenhum motivo para apoiar nenhum dos dois, mas ao jornalismo cabe se ater aos fatos e deixar os comentários para os editoriais, ai sim, as tvs e jornais assumem suas posições de forma clara, não precisa usar o jornalismo para fazer esse papel sujo!

Jadson disse...

É isso aí, Carmelita. Os monopólios da mídia - que costumo chamar mídia hegemônica -, desavergonhadamente, têm lado, e nossos colegas, coitados, são "forçados" a assumir.