sábado, 26 de setembro de 2015

FRENTE BRASIL POPULAR É LANÇADA NA BAHIA E JÁ CONVOCA PARA MANIFESTAÇÃO EM DEFESA DA PETROBRAS

Ato de lançamento na Reitoria da UFBa (Foto: Manuel Porto)
A FBP visa a mobilização de rua para se contrapor à onda conservadora que assola o país, buscando influenciar no sentido do enfrentamento às forças da direita no Congresso Nacional.

Por Jadson Oliveira (jornalista/blogueiro) – editor do blog Evidentemente – publicado em 26/09/2015

De Salvador-Bahia – Lançada nacionalmente em Belo Horizonte (MG) no último dia 5, a Frente Brasil Popular (FBP) chegou formalmente a Salvador ontem, sexta-feira, dia 25. Chegou, porém, ainda com pouca mobilização, pois apenas 320 pessoas estiveram no lançamento, realizado na Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBa).

Participaram do ato representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), dos partidos políticos PC do B, PT e PSB, e de várias entidades do movimento social ligadas ao campo democrático, popular e de esquerda, como Levante Popular da Juventude, Unegro, Enegrecer, Consulta Popular, Movimento Mundial das Mulheres, APLB, MTST e UNE, cuja presidenta, Carina Vitral, estava representando também a direção da FBP nacional.

Dentre os oradores, a deputada federal Alice Portugal (PC do B), o deputado federal Afonso Florence (PT) e o ex-presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, que exaltou a perseverança na luta do povo brasileiro e enfatizou o chamamento à defesa da Petrobras.

A Frente visa a mobilização de rua para se contrapor à onda conservadora que assola o país, buscando influenciar no sentido do enfrentamento às forças da direita no Congresso Nacional, especialmente contra os retrocessos configurados nos projetos tocados pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Nas ruas no próximo sábado

A FBP já tem a tarefa imediata de mobilizar os baianos para a manifestação em defesa da democracia, da Petrobras e duma nova política econômica, no contexto da luta contra as forças de direita e ultradireita, que mantêm a campanha pelo impeachment da presidenta Dilma e não desistem do projeto de esvaziar a nossa estatal do petróleo no processo de exploração do pré-sal.

Haverá manifestações de rua em todo o país no próximo sábado,  3/outubro, data de criação da Petrobras. Em Salvador a passeata será do Campo Grande (concentração a partir das 9 horas da manhã) até a Praça Castro Alves, no Centro Histórico.

No panfleto de convocação, a direção da Frente lista as bandeiras de luta que serão levadas às ruas no sábado:

“1 – Lutar por melhorias das condições de vida do povo, mais emprego, renda, moradia, educação, saúde, terra, transporte público, etc. Não aceitamos um “ajuste fiscal” que retire direitos dos trabalhadores e propomos uma nova política econômica que preserve os interesses nacionais e amplie direitos.

2 – Lutar contra a redução da maioridade penal, contra o extermínio da juventude pobre da periferia.

3 – Não aceitar nenhuma tentativa de golpe. Para ampliar a democracia, avançar na luta pela reforma política, do PoderJudiciário, dos meios de comunicação, agrária, tributária e educacional.

4 – Defesa da soberania nacional: o povo é o verdadeiro dono do petróleo, do pré-sal e das riquezas nacionais. Impedir a entrega de nosso petróleo às transnacionais.”


O ato na Reitoria da UFBa foi coordenado pelos presidentes estaduais da CUT, Cedro Silva, e da CTB, Aurino Pedreira.

2 comentários:

Anônimo disse...

Todo respeito amigo Jadson, essa frente já nasce morta. Esses setores estão totalmente ligados a velha esquerda que se alinhou com o fisiologistas. abcs Rui Baiano Santana

Jadson disse...

Rui, creio que você está certo, infelizmente, notei logo esta fraqueza. Além da pequena mobilização, não percebi qualquer ampliação para incluir setores políticos da esquerda mais à esquerda (gente da área de influência do PSOL, PSTU, etc), nem tampouco do espaço político-ideológico do centro (liberais democráticos). A nível nacional, sei que há a participação de um Roberto Amaral, do PSB, do MST, não sei se os Sem-Teto de SP está nesta frente.
Vamos ver, companheiro, a situação da esquerda e centro-esquerda no Brasil está precaríssima. Como disse o Requião, estamos f... Abraço, Jadson