domingo, 5 de julho de 2015

MIGUEL DO ROSÁRIO: ‘GOLPE DE ESTADO’ CONTA OS BASTIDORES SUJOS DA MÍDIA BRASILEIRA NA DITADURA

Os autores Palmério Dória e Mylton Severiano (Foto: O Cafezinho)
LIVRO ACUSA GLOBO DE 'DELAÇÃO' NA DITADURA

Obra dos jornalistas Palmério Dória e Mylton Severiano afirma que Roberto Marinho entregou os nomes de 223 intelectuais aos militares no início da ditadura no país, numa polêmica publicação no jornal O Globo.
(Do site Brasil 247)

Ao relembrar como uma elite financeira, industrial e agrária conservadora levou a classe média à histeria no início dos anos 60, preparando o terreno para o golpe militar de 1964, o livro lança luzes sobre os dias de hoje, quando jornais, rádios e TVs clamam aos céus contra a “corrupção”, levando com eles os desinformados que desfilam nas ruas e batem panelas de suas varandas. 

“Claro que nenhum de nós, cidadãos honestos, podemos aceitar a corrupção. No entanto, quando as denúncias vêm daqueles que sempre a praticaram, aí é bom desconfiar”, alerta o editor Luiz Fernando Emediato.

Por Miguel do Rosário, no seu blog O Cafezinho, de 03/07/2015
(Informe: A obra será lançada hoje, sexta-feira 03 de julho, em São Paulo, a partir das 19h, no Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé na rua Rego Freitas, 454, conjunto 83, próximo à estação República do Metrô. Na oportunidade também haverá um debate sobre Mídia, golpe e ditadura: ontem e hoje, com a participação de Emiliano José (Secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações) e os jornalistas e escritores Palmério Dória, Hildegard Angel e Fernando Morais. Todos estão convidados.)
3 horas da manhã. Termino de ver um filme de John Cassavetes e, antes de dormir, dou uma olhadinha rápida no twitter. Caio no post de capa do Brasil 247, com um título impactante: "Livro acusa Globo de delação na ditadura".

Meu primeiro sentimento é um leve remorso por não ter feito um post antes sobre esse livro, posto que o recebi e o li há algumas semanas.
A Globo, além de sonegadora e golpista, também foi delatora. Delatou abjetamente os melhores intelectuais do Brasil. A empresa fez uma campanha sórdida, assassina, para que intelectuais brasileiros fossem reprimidos e presos, pelo regime militar.
Intelectuais progressistas, claro.
É impressionante a inclinação da Globo pela delação, pelo arbítrio, pela truculência, pela mentira.
Havia um clamor de setores autoritários da classe média pela ditadura e para o extermínio político da esquerda.
É a mesma coisa de hoje.
Logo tento me perdoar por não ter escrito antes um post sobre esse livro. Ser blogueiro político no Brasil é uma tarefa para loucos. A quantidade de pequenos, médios e grandes golpes e conspirações com que nos deparamos num único dia é de tirar o fôlego.
Já disse alhures: acontecem mais coisas na política brasileira em 24 horas do que em 24 anos na Suécia.
Entretanto, ainda assim, com tantas emoções, e tanto trabalho para um blogueiro, eu prefiro... a Suécia.
Meu sonho é que o Brasil encontre um mínimo de estabilidade política, que permita ao país crescer. Não espero sequer um crescimento rápido. Queria que o Brasil apenas tivesse um pouco mais de paz e segurança democrática.
Para isso, todavia, precisamos de uma mídia plural.
Esse é o principal problema do Brasil. A mídia concentrada e golpista tem feito a cabeça de milhões de pessoas, criando um exército de zumbis psicóticos, saudosos da ditadura, fascistas.

Nenhum comentário: