quinta-feira, 30 de julho de 2015

DILMA: “QUEREMOS USAR A INTERNET PARA A CRIAÇÃO DE CONSENSOS TRANSFORMADORES”

(Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)
Plataforma digital lançada nesta terça (28) permite ao cidadão avaliar políticas públicas e até conversar diretamente com ministros

Por Najla Passos - no portal Carta Maior, de 29/07/2015

A presidenta Dilma Rousseff lançou nesta terça (28), em Brasília, uma nova ferramenta de participação social: a plataforma digital Dialoga Brasil, que permitirá ao cidadão propor novas políticas públicas via internet, avaliar os projetos já em execução, escolher as melhores propostas de terceiros, debater temas da conjuntura e até mesmo dialogar diretamente com ministros. “É muito difícil governar um país da dimensão do Brasil sem ouvir as pessoas”, afirmou a presidenta.
 
De acordo com ela, a plataforma atende sua promessa de campanha de criar novos canais de comunicação com a sociedade e sintetiza a experiência bem sucedida de participação social já executada pelo governo, que tem sua expressão máxima nas conferências.  Para a presidenta, Dialoga Brasil avança ao permitir a participação direta da sociedade civil, inclusive dos cidadãos não organizados pelos movimentos que já frequentam as conferências. 
 
“Nós queremos melhorar. E só dá para melhorar tendo essa parceria entre governo federal e sociedade”, afirmou a presidenta, circulando bastante a vontade entre os representantes de movimentos sociais que lotaram o auditório da Funarte, em Brasília, para participar do evento. A plataforma digital é um projeto pessoal da presidenta, que foi testada e aprovada diretamente por ela. “Nós queremos usar a internet para a criação de consensos transformadores”, destacou Dilma.
 
Temas em debate
 
O Dialoga Brasil já está em funcionamento, com quatro temas (desenvolvimento social e combate à fome, segurança pública, saúde e educação), que abrangem 20 programas. A meta é, nos próximos dias, abastecer a rede com mais 10 temas e 60 projetos. Todos eles ficaram abertos à avaliação pública até final de outubro e podem ser compartilhados nas redes sociais sem nenhum tipo de censura prévia ou mediação.
 
As pessoas podem apresentar propostas, sugestões e críticas de até 200 caracteres. Todas elas serão publicadas na plataforma e ficarão sujeitas à votação do público. O compromisso do governo é responder, após o dia 31, as três propostas mais votadas de cada um dos 80 projetos. Para participação, será necessário que o usuário se registre com email e senha, além de aceitar os termos de utilização.
 
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, ressaltou os quatro programas de segurança que já estão aguardando contribuições públicas no Dialogo Brasil. Entre eles o que visa diminuir as altas taxas de assassinatos verificadas no país, especialmente entre jovens negros da periferia. Trata-se da proposta de um pacto nacional pela redução dos homicídios, ainda em construção. 
 
O ministro da Saúde, Arthur Chioro, destacou a importância do debate social para qualificação das políticas públicas, como ocorreu com o Mais Médicos, muito atacado na época do seu lançamento, há dois anos, mas que agora é aprovado por 95% da população brasileira, conforme pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).


Para ler mais na Carta Maior:  

Nenhum comentário: