segunda-feira, 18 de maio de 2015

CHICO DE OLIVEIRA: TUDO É CORRUPTO NO CAPITALISMO

(Foto: Viomundo)
Brasil vai voltar a crescer e panelaços irão acabar
Lula vai ter de voltar a fazer política de forma mais contundente

Segundo sociólogo, PT não tem projeto de país e Lula terá de se realinhar de forma radical para manter poder em 2018

Por ELEONORA DE LUCENA, DE SÃO PAULO, na Folha de S. Paulo – reproduzido do blog Viomundo – o que você não vê na mídia, postagem de 17/05/2015

A crise parece muito grande, mas não é. O Brasil vai voltar a crescer, tem uma economia privilegiada e será uma sociedade mais igualitária. A burguesia do país é muito autoritária, mas seu jogo não vai prosperar. Os panelaços não terão continuidade. “A sociedade não aguenta mais ver a demissão de 2.000 pessoas”.
A análise é do sociólogo Francisco Maria Cavalcanti de Oliveira, 81. Para ele, o país vive como em um baile, onde tudo está em movimento, o que gera sensações de pressa e angústia. “Isso é ótimo. A pior coisa é a estagnação”. E é preciso lutar pelo poder.
Fundador do PT e do PSOL, professor aposentado da USP e autor de clássicos como “A Economia Brasileira: Crítica à Razão Dualista” (1972), ele condena a ausência de ousadia dos últimos governos. “Brizola é o grande político que falta no Brasil. Falta alguém com audácia”, diz.
Crítico do lulismo, que classifica como um movimento conservador, avalia que é possível, mas não provável, a derrota do partido em 2018. Na sua visão, Lula vai precisar se realinhar de forma radical, fazendo política de forma mais contundente, ou os tucanos voltarão ao poder. “Se houver um desastre e o PT for desalojado do poder, as burguesias nunca mais se esquecerão disso. Vão tentar manter o PT afastado”, declara.
Nesta entrevista, concedida na sua casa na Vila Romana, em São Paulo, Chico de Oliveira fala de seu projeto para um novo livro. Quer tratar do que identifica como chances perdidas pelo lulismo, que deveria ter ampliado muito mais os benefícios sociais. “Erraram. Foi um sonho que poderia ter sido e não foi em toda a sua intensidade”, afirma.

Três perguntas e respostas da entrevista:

Folha – O que está acontecendo no Brasil?

Francisco de Oliveira – As posições se acirraram porque tem o PT de um lado e os tucanos de outro. Todo o meio desapareceu. PDT, PPS, os democratas, outros partidos praticamente desapareceram. A consolidação de posições que são opostas dá essa sensação de que está tudo muito ruim, mas não está não.

(...)

Como o sr. avalia o caso Petrobras?

Petróleo ainda é o melhor negócio do mundo. A Petrobras é de 1953 e avançou. Vargas foi obrigado a se suicidar por isso. Os norte-americanos até hoje não engolem o fato de ela ser estatal, mesmo sendo um estatismo frouxo. Não engolem porque é um filé. Está abalada hoje. Há pressão para que ela seja fatiada. A burguesia brasileira quer pegar nacos. A Petrobras é um item de segurança nacional; não pode ser privatizada.

E a questão da corrupção envolvendo empreiteiras?

Há tempos, quando todo mundo se desesperava com isso, Ignácio Rangel (1914-1994), que era realista e cético, dizia: “A corrupção é o creme do capitalismo. Não se desesperem, isso é sinal de que o capitalismo está se expandindo”. É isso: tudo é corrupto no capitalismo.


Nenhum comentário: