sábado, 23 de maio de 2015

BRASIL: SENADORES FORMAM A FRENTE PROGRESSISTA CONTRA PROJETOS CONSERVADORES DA CÂMARA


frente-progressista-suprapartidariagde
(Foto: Viomundo)
O grupo conta com o apoio de movimentos sociais e centrais sindicais que se manifestaram contra o avanço da agenda conservadora no Congresso Nacional nos últimos meses.
por Rafael Zanvettor, na Caros Amigos - reproduzido do blog Viomundo - o que você não vê na mídia, de 22/05/2015
Membros do Senado oficializaram nesta quarta-feira (20) a criação do comitê executivo para por em movimento a recém-criada Frente Progressista Suprapartidária do Senado. Interessados em defender projetos progressistas e barrar projetos de lei (PL) conservadores aprovados pela Câmara dos Deputados, os senadores criaram o bloco no fim de abril, mas só agora deram início à atuação prática do grupo.
Foram escolhidos como membros do comitê executivo os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Hélio José (PSD-DF), Elmano Férrer (PTB-PI), Fátima Bezerra (PT-RN) e Cristovam Buarque (PDT-DF). Para o líder do PSB no Senado, João Capiberibe, “o grupo foi criado com o objetivo de contrapor a agenda conservadora da Câmara, e está tratando de temas específicos que atrasam o desenvolvimento político social da sociedade brasileira”. O grupo conta com o apoio de movimentos sociais e centrais sindicais que se manifestaram contra o avanço da agenda conservadora no Congresso Nacional nos últimos meses.
Temas
Segundo o senador João Capiberibe, a princípio o bloco atuará em conjunto em cinco pautas muito específicas. “O grupo é contrário ao PL da terceirização, e por isso o primeiro ponto é a possibilidade de colocar um novo projeto de lei substitutivo, contemplando o tema da terceirização, mas defendendo o direito dos trabalhadores e suas reivindicações”. O Segundo projeto contra o qual a frente irá se posicionar é o projeto de redução da maioridade penal, aprovado no dia 31 de março na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.
Além disso, o grupo irá lutar para barrar a aprovação do Estatuto da Família pautada pela bancada evangélica, que não considera casais homoafetivos como família; a mudança no Estatuto do Desarmamento, que pretende liberar o porte de armas e o já aprovado projeto que acaba com a obrigação de identificar no rótulo produtos de origem transgênica.
Recado a Cunha
Para o senador do PT, Lindberg Farias, a formação do bloco manda um recado ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), mostrando que o Senado não será conivente com essa agenda “extremamente conservadora”. Com 30 senadores compondo a Frente, de um total de 81, o senador petista acredita que eles têm força para barrar os projetos da Câmara.
Na próxima reunião da Frente, na terça-feira da semana que vem, estarão presentes também movimentos sociais e sindicais: “Vamos chamar os movimentos sociais para que haja não apenas uma resistência no Congresso, mas na sociedade civil. A ideia agora é consolidar a Frente e aprofundar sua relação com a sociedade, por isso na próxima reunião haverá muita gente que está preocupada com o que acontece na Câmara, a gente acredita que vai ter apoio da população”.
A Frente é formada pelos senadores, Lindbergh Farias (PT-RJ), Telmário Mota (PDT-RR), Paulo Paim (PT-RS), Roberto Requião (PMDB-PR), Donizeti Nogueira (PT-TO), Regina Sousa (PT-PI), Lídice da Mata (PSB-BA), Jorge Viana (PT-AC), Roberto Rocha (PSB-MA), Randolfe Rodrigues (PSol-AP) e Vanessa Graziotin (PCdoB-AM), entre outros.

Nenhum comentário: