domingo, 19 de abril de 2015

OSVALDO VENTURA: FUTUROS TERCEIRIZADOS DO BRASIL, UNI-VOS!

Lideranças sindicais estão em pé de guerra contra o PL-4330 e prometem voltar às ruas nesta semana (Foto: Internet)
A terceirização ampla, geral e irrestrita afronta o estágio atual do processo civilizatório ao coisificar o ser humano em toda e qualquer atividade laboral.

Por Osvaldo Ventura (advogado e escritor – membro da Academia Feirense de Letras) – recebido via e-mail do companheiro Antônio Carlos Pereira dos Santos

Diante do revival de pregações retiradas do fundo de um abjeto baú nazi-fascista, as classes dominantes nativas, sem escrúpulo de qualquer ordem, volveram os olhos para o aterro sanitário da História e tentam desenterrar das profundezas do século XIX a degradante condição de escravo e seu corolário de ignomínias. 

Sim, porque  se  condena  a  terceirização  das atividades meio, mas nela existe uma complacência lógica. Entretanto, a terceirização ampla, geral e irrestrita afronta o estágio atual do processo civilizatório ao coisificar o ser humano em  toda  e  qualquer  atividade laboral. O trabalhador passa a ser alugado por um eventual locador, ou seja, um locador direto, que, por sua vez, é locatário de um empresário que se torna locador indireto do infeliz  contratado. Ao ser reificado, o desditoso terceirizado perde aquilo que lhe é mais caro: sua dignidade.

O resultado  dessa  perversa  mixórdia  é  a  precarização  total  das  relações trabalhistas. Salários e benefícios reduzidos, maiores jornadas de trabalho e o consequente aumento de acidentes e doenças ocupacionais, enfim, a fragmentação de direitos trabalhistas e o posterior desaparecimento de todas as conquistas de décadas de lutas. Se  o  brado  “Operários  de  todo  o  mundo,  uni-vos”  não  ecoa  hoje  tão fortemente  devido  a  menor  exploração  do  trabalhador,  a  mais-valia, entretanto, nunca deixou de existir como regra determinante na formação do  Capital. 

Ora,  se  a  mais-valia,  fruto  do  trabalho  e  pressuposto  do capitalismo, obtida por um só patrão já contribuía desde sempre para a concentração de riqueza no mundo, agora, a dupla mais-valia, resultado de uma locação direta e outra indireta, concentrará muito mais a renda na sociedade  brasileira. E  maior  concentração  de  renda  significa  piores condições de vida para a maioria da população.


Mas, se o desastre ainda não aconteceu, vale o grito de alerta para todos os interessados: Futuros terceirizados do Brasil, uni-vos!    

Nenhum comentário: