terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

PAULO NOGUEIRA: O BRASIL DA MÍDIA E O BRASIL DE VERDADE

Isto é Brasil
Isto é Brasil (Foto: DCM)
O brasileiro é feliz. A mídia é torturada. O problema não está, naturalmente, no brasileiro – mas na mídia, que em sua formidável miopia enxerga o mundo como uma miserável extensão de si mesma.
 
Por Paulo Nogueira, no DCM - Diário do Centro do Mundo, de 09/02/2015

Vago ao acaso pela internet na manhã desta segunda e topo com dois artigos que, diferentes em vários pontos, são iguais no desalento, na neurastenia e no pessimismo.
ADVERTISEMENT

Um é de Mino Carta e o outro de Vinicius Mota, secretário de redação da Folha.

O de Mino diz no subtítulo: “O Brasil vive um momento sombrio de extrema gravidade e Dilma tem de agir depressa para evitar o pior.” Mino pergunta: “Ainda dá tempo?”

O título do de Mota dá um passo além. “Rumo ao abismo.”

Penso um pouco e chego à seguinte conclusão: os dois andam lendo demais jornais e revistas. Podem também estar vendo e ouvindo mais do que deviam Globo, Globonews, CBN, Jovem Pan etc.

Pela mídia, o Brasil parece um país em que os cidadãos fazem fila para se suicidar à beira de viadutos.

A predominância de más notícias é impressionante.

Dou um pulo, ao acaso, no G1. Na primeira página, você encontra:
  • Ao vivo, a marcha do dólar (para cima) e da Bolsa (para baixo);
  • Inadimplência recorde em recolhimento de seguros de moto;
  • 8277 pessoas mortas em acidentes nas rodovias federais em 2014;
  • Mulher morta em tiroteio entre PM e ladrões em SP;
  • Ação da PM que deixou um morto no Rio;
  • Lixo, drogas, briga, sexo e pancadão na Vila Madalena;
  • Carreta que tomba e esmaga dois carros em SC;
  • Vídeo de carros arrastados por enchente;
  • Vídeo em que o namorado bate no cachorro de uma mulher;
  • Áudio em que presos no RS ordenam assassinatos.
A lista vai adiante.

Se o G1 fosse uma pessoa, você poderia classificá-lo como doentiamente mórbido. Quando até inadimplência de motos é primeira página, é porque o quadro é de extrema gravidade.

Mas o G1 é apenas um produtor de conteúdo entre tantos, em todas as mídias, que sofrem do mesmo mal – um desequilíbrio patológico.

Clicar para continuar no DCM, com dados interessantes de pesquisa do Datafolha:

Nenhum comentário: