segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

GUERRA ECONÔMICA CONTRA A VENEZUELA PRETENDE GERAR INSATISFAÇÃO


(Foto: Internet)
A economia venezuelana se caracterizou no ano de 2014 por um alto índice inflacionário, desabastecimento de produtos e uma desaceleração na taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB).

Caracas, 5 jan (Prensa Latina) - As altas taxas de inflação e o desabastecimento provocados pela guerra econômica da direita geram hoje descontentamento e mal-estar entre a população, afirmou o economista e deputado Jesús Faría.
Essas manobras procuram minar a base política e social do governo do presidente Nicolás Maduro, declarou o também vice-presidente da Comissão de Finanças e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Nacional (AN).

Faría destacou que a persistência oficial contra esses problemas conseguiu indicadores baixos de pobreza extrema e de desocupação, aumentar a construção de moradias e manter os níveis de saúde, educação e cultura.

A economia venezuelana se caracterizou no ano de 2014 por um alto índice inflacionário, desabastecimento de produtos e uma desaceleração na taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), acrescentou o especialista.

Segundo Faría, esse "foi um ano muito difícil para o país, fica assim marcado na história, talvez o mais complicado de todos estes 16 anos de Revolução, mas que conseguimos fechar com tranquilidade sem que esteja a ponto de 'implodir' como pretendiam os porta-vozes da oposição".

O econômico e o político estão estreitamente vinculados e este tem sido um ano que o expressa com clareza, o desempenho da atividade produtiva reflete as contradições entre as forças progressistas e a contrarrevolução, argumentou.

No âmbito internacional, Faría considerou também relevante "a reação provocada de maneira deliberada nos mercados financeiros contra a credibilidade financeira da Venezuela pelas empresas qualificadoras de risco, bancos de investimento e os comentários com distorção política de personalidades opositoras".

Nenhum comentário: