sábado, 31 de janeiro de 2015

CARO MIGUEL DO ROSÁRIO, O ESSENCIAL NÃO SERIA A CONSTRUÇÃO DUMA MÍDIA CONTRA-HEGEMÔNICA?



Novo porta-voz de Dilma é um poltergeist!

Novo porta-voz de Dilma é um poltergeist!

poltergeist_remake

Enfim, a presidenta
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2015/01/30/novo-porta-voz-de-dilma-e-um-poltergeist/#sthash.ZXeNLcAp.dpuf

Novo porta-voz de Dilma é um poltergeist!

poltergeist_remake
- See more at: http://www.ocafezinho.com/2015/01/30/novo-porta-voz-de-dilma-e-um-poltergeist/#sthash.ZXeNLcAp.dpuf

Nos comentários do artigo com este título aí, de autoria de Miguel do Rosário, no seu blog O Cafezinho, ilustrado pela foto acima, escrevi as observações que transcrevo abaixo. Clicar aqui para ler o artigo:

Caro Miguel do Rosário,
 

Vc bate sempre nesta tecla de porta-voz do Planalto, da Dilma falar, etc. Creio que o companheiro (me permita tratá-lo assim, me considero também, apesar de pequeno, um blogueiro progressista, "sujo" - aliás, volta e meia uso artigos seus e de outros companheiros no meu blog), que faz um belíssimo trabalho na blogosfera, está cheio de razões.
 

Mas tem um aspecto que considero mais essencial, me perdoe me aparentar pretensioso, é a necessidade do governo e do movimento democrático, popular e de esquerda construir e/ou incentivar a construção duma mídia contra-hegemônica, tenho batido nesta tecla em artigos para meu blog (um blog pequeno, modesto).
 

Para não me alongar, pense aí porque o governo da Venezuela tem segurado o tranco, sobrevivendo ao bombardeio incessante da mídia hegemônica no país e em todo o mundo. É que o governo, pelo menos internamente, tem meios de comunicação para fazer o contra-ponto, não só se defender, mas também atacar.
 

Quando estive por lá da última vez (na última eleição do Chávez), só emissoras de TV estatais havia quatro (a comparação poderia se estender a governos da Argentina, Bolívia, Equador). Claro que há muitos outros fatores em jogo, mas, repito, a construção duma mídia contra-hegemônica é essencial.
 

Abraço, Jadson e parabéns pela sua (nossa) luta.

Nenhum comentário: