sexta-feira, 24 de outubro de 2014

ELEIÇÕES BRASIL 2014: UM ESCÂNDALO CHAMADO ARMÍNIO FRAGA

Arquivo
Armínio Fraga (Foto: Carta Maior)

Funcionário do J.P.Morgan, Fraga é um quadro orgânico ao centro político e financeiro de Wall Street, a grande casamata do neoliberalismo no plano mundial.



Por Juarez Guimarães, no portal Carta Maior, de 24/10/2014

No momento mais difícil de sua campanha, quando Marina aparecia como provável adversária de Dilma no segundo turno e a própria base política, midiática e financeira neoliberal aparecia dividida entre as duas opções, Aécio anunciou Armínio Fraga como seu futuro Ministro da Fazenda. Este gesto, certamente combinado com um esforço de recentralização política do PSDB paulista por parte de FHC, levou Aécio ao segundo turno, acentuando a perda de bases de Marina e fazendo convergir para Aécio a esmagadora maioria dos votos do PSDB em São Paulo. Perguntado se aceitaria participar de um eventual governo Marina, Fraga respondeu peremptório: “sou 100 % Aécio!”

Se com o Banco Itaú e a proposta de “autonomia do Banco Central” Marina oferecia suas cartas ao capital financeiro, Aécio mais que dobrou a aposta: um quadro do J.P.Morgan no governo de toda a macro-economia brasileira. A distância entre o Banco Itaú e o J.P. Morgan é a mesma distância entre a Avenida Paulista e Wall Street.

Este esclarecimento político das classes dominantes e a dinâmica que gerou trouxeram a luta de classes aberta para o segundo turno das eleições presidenciais. O povo brasileiro contra os poderes do mundo?


Para continuar lendo na Carta Maior:

Nenhum comentário: