sábado, 16 de agosto de 2014

MARTA HARNECKER: HÁ UM ABISMO ENTRE A AMÉRICA LATINA ANTES DE CHÁVEZ E A AMÉRICA LATINA PÓS CHÁVEZ

Maduro entrega o prêmio à escritora (Foto: Aporrea)
"Nasceu no Chile faz 77 anos e ficou muito conhecida entre as forças de esquerda nos anos 70 por seu livro Os conceitos elementares do materialismo histórico. Depois do golpe contra Allende se refugiou em Cuba, país que qualificou como sua segunda pátria, e trabalhou muito na Venezuela acompanhando as atividades de Hugo Chávez. Ontem (dia 15), o presidente Maduro lhe entregou o prêmio dedicado ao Pensamento Crítico por seu último livro, Um mundo a construir (Novos caminhos). “Este livro foi finalizado um mês depois da morte de Chávez e não poderia ter sido escrito sem sua intervenção, pois entre a América Latina que ele encontrou e a América Latina que ele deixou há um abismo”, assegurou Marta Harnecker, a primeira mulher que recebe o galardão".

Pátria Grande

Observação do Evidentemente: Como a notinha acima - da capa do jornal Página/12, edição impressa de hoje, dia 16 - é realmente uma "notinha", como é praxe na organização da edição do excelente diário argentino, acrescento que:

A premiação ontem, dia 15, incluindo outros homenageados, marcou o décimo aniversário da vitória de Chávez no referendo revogatório de 2004.

A escritora, no seu discurso de agradecimento, classificou a Venezuela como sua terceira pátria. E Maduro, ao fazer o discurso-elogio, a corrigiu dizendo que, na verdade, ela tinha apenas uma pátria, a Pátria Grande (América Latina e Caribe), um conceito lançado pelo venezuelano Simón Bolívar, citado na Venezuela e em alguns países da região sempre precedido do título de "Libertador" (por sinal, o nome oficial da distinção é Prêmio Libertador ao Pensamento Crítico).

Conceito este, Pátria Grande, que foi revitalizado pelo ex-presidente Hugo Chávez e, claro, que é raramente lembrado no Brasil, país tiranizado pelos monopólios da mídia hegemônica, afinados com a direita e o império estadunidense, forças que lutam tenazmente para que não prosperem conceitos relacionados com a soberania e a independência das nações latino-americanas.

Nenhum comentário: