sexta-feira, 29 de agosto de 2014

FORO DE SÃO PAULO NA BOLÍVIA: “O JURÁSSICO NEOLIBERAL FICOU PARA TRÁS”



Álvaro García Linera no ato de inauguração do Foro (Foto: EFE/Página/12)
O encontro, que começou na segunda-feira, foi inaugurado ontem, dia 28, pelo vice-presidente García Linera. Hoje, o presidente Evo Morales falará aos participantes, em sua maioria jovens de todo o mundo, para encerrar oficialmente o Foro de São Paulo. A próxima edição desta assembleia internacional será realizada no Equador.

Matéria do jornal argentino Página/12, edição de hoje, dia 29

O Foro de São Paulo, que se reúne na Bolívia desde segunda-feira, foi inaugurado oficialmente ontem, dia 28, pelo vice-presidente Álvaro García Linera, com elogios ao surgimento duma esquerda revolucionária que “afiançou a democracia” na América Latina e condenou o neoliberalismo.

Há 24 anos da fundação no Brasil do Foro de São Paulo, que congrega partidos de esquerda e movimentos sociais, o vice-presidente boliviano Álvaro García destacou “o estabelecimento (na região) da democracia como método revolucionário”.

“Para trás deixamos as democracias fósseis (...) e em nossos países, onde têm triunfado os governos revolucionários, houve uma transformação e um enriquecimento da democracia, entendida como participação, como radicalização, como comunidade”, sustentou o mandatário.

Destacou ao mesmo tempo que “estamos assistindo – 24 anos depois do nascimento do Foro – uma lenta porém irreversível decadência do Hegemon norte-americano (em alusão ao romance de Orson Scott). Os Estados Unidos não é mais a potência imperial, dirigente do mundo”.

Acrescentou neste sentido que “a China e a Europa estão tirando sua liderança econômica (...), ainda que continue sendo dominante, na base da força, mas já não na base da liderança, da mobilização e de seu poderio imbatível a nível econômico”. Também manifestou que falar do neoliberalismo na América Latina cada vez mais se assemelha a falar dum arcaísmo, que “é quase como falar do Parque Jurássico. Hoje o neoliberalismo é um arcaísmo que estamos botando na lixeira da história”, destacou.

Continua em espanhol:

García, que junto con el presidente Evo Morales nacionalizó los recursos naturales en su país, entre ellos los hidrocarburos (gás natural e petróleo), llamó “a defender y ampliar los logros obtenidos hasta hoy” por la izquierda en la región. En un mensaje grabado, el ex presidente de Brasil Luiz Inácio Lula da Silva dijo que “estoy convencido de que un camino importante para nuestra economía y un progreso de nuestras cosas pasa fundamentalmente por la integración de América latina. Ojalá que desde Bolivia en este Foro de San Pablo sea el debate de integración y de conclusiones, porque en los años ’90 fue decisivo para derrotar a los gobiernos neoliberales”, agregó.

El Foro, nacido en 1990 bajo el influjo (sob a influencia) del Partido de los Trabajadores (PT) de Lula, ha tenido como uno de sus principales objetivos la búsqueda de modelos de desarrollo (desenvolvimento) con justicia social para oponerlos a las recetas del neoliberalismo que fueron hegemónicas en los años ’90 en la región. Su realización en San Pablo apareció en oposición a la realización del Foro de Davos, adonde concurren representantes de los gobiernos de las economías centrales así como grandes empresarios y financistas. El Foro cerrará hoy con un documento final de conclusiones y un discurso del presidente Evo Morales. La próxima edición del Foro la organizará Ecuador.

Tradução (parcial): Jadson Oliveira

Nenhum comentário: