sábado, 23 de agosto de 2014

ARGENTINA: MENOS DE UM MÊS APÓS ACHAREM 'GUIDO', AVÓS DA PRAÇA DE MAIO RECUPERAM NETA 115


Entre todos te encontramos, diz cartaz das Avós (Abuelas) da Praça de Maio (Foto: Opera Mundi)

Mulher é neta de uma das avós fundadoras e vive atualmente na Europa, segundo a imprensa argentina. Coletiva está marcada para as 19h desta sexta, dia 22

Reproduzido do portal Opera Mundi - São Paulo, de 22/08/2014

As Avós da Praça de Maio encontraram mais uma neta desaparecida, a 115. Trata-se de uma mulher, que mora na Holanda e é neta de Alicia de la Cuadra, uma das 12 fundadoras e primeira presidente da associação, falecida em 2008. Outra recuperação acontece menos de um mês após a presidente das Avós, Estela de Carlloto, achar o neto, "Guido".
Ainda faltam ser encontrados 400 netos apropriados ilegalmente pela ditadura argentina.


Às 19 horas será concedida uma coletiva de imprensa na sede da organização, em Buenos Aires, para oferecer mais informações sobre a nova neta. A notícia aconteceu exatamente dezessete dias após Carlotto ter encontrado seu neto, após 36 anos de busca.
O encontro entre Guido e sua avó comoveu a Argentina e impulsionou a curiosidade de jovens que pensam que também podem ser filhos de desaparecidos, dando um fôlego novo ao debate em torno dos milhares de desaparecidos políticos durante a ditadura militar no país (1976-1983).

 
Ana, a filha de Elena

A ditadura argentina sequestrou Elena, filha de Alicia, quando ela estava grávida. No dia 11 de julho de 1977, um homem contou a Alicia que Elena teve uma menina e colocou o nome dela de Ana. “Ele me disse que Elena dividia a mesma cela que outras cinco garotas — em meio à mais absoluta falta de higiene — e que deu à luz sem acompanhamento médico, jogada no chão, enquanto suas companheiras gritavam espantosamente, pedindo ajuda. (…) Ao final, muito comovido, me confessou que quatro dias após o nascimento, Ana foi separada de sua mãe e Hector [companheiro de Elena] mandou uma espécie de última mensagem: procurem nossa filha”. A garota nasceu no dia 16 de junho.

Apesar da reivindicação da avó, os juízes se negaram a investigar o caso. Após diversas tentativas, Alicia recebeu como resposta do coronel Rospide que “o que você me pede é impossível. A menina — e isso é um feito irreversível — já foi entregue a uma família muito importante”.

As Avós da Praça de Maio, uma das organizações mais influentes na Argentina, foi fundada na casa de Alicia. Licha, como era chamada, teve um filho, uma filha e seu genro sequestrados. Ela foi, desde o início, um elo de ligação entre as mulheres que buscavam seus filhos e netos e foi a primeira presidente das Avós Argentinas com Netinhos Desaparecidos, como chamava a associação no início.
 
*Com informações de Aline Gatto Boueri, de Buenos Aires

Nenhum comentário: