quarta-feira, 6 de agosto de 2014

ARGENTINA: APÓS 37 ANOS DE BUSCA, ESTELA DE CARLOTTO ENCONTRA NETO

Estela de Carlotto (sentada, no meio) ontem em Buenos Aires, ao anunciar a identidade do "neto recuperado número 114", neto dela própria, filho de sua filha Laura, assassinada pela ditadura (Foto: DyN/Página/12)

A presidente das Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, encontrou nesta terça-feira (5) o neto, filho de Laura Carlotto, após longos 37 anos de busca.

Do Página/12 (com Agência Telam) - reproduzido do portal Carta Maior, de 05/08/2014

Buenos Aires - A presidente da Associação das Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, cercada de sua família biológica e de luta, afirmou que sua filha Laura, a mãe de Guido, o neto recuperado 114, cujo assassinato completará em breve um novo aniversário, “do céu, vai sorrir (…) porque eu nunca fui de luta aberta, mas ela dizia a seus sequestradores que ‘minha mãe não se esqueceria do que estão fazendo conosco”.

Estela relatou que seu neto Guido “se parece com os Carlotto e com os Barnes, é charmoso, um artista, um tipo bom. Ele nos procurou e aconteceu aquilo que sempre dizíamos: eles vão nos procurar”. Estela repetiu “nós não fazemos mais do que reclamar memória, verdade e justiça”.

“A cadeira (de Laura) continuará vazia, mas para os que querem virar essa página, a recuperação da identidade de Guido é uma reparação para ele, para a família”.

Mais adiante, Estela afirmou que “outras avós têm que sentir o que eu sinto: o que eu queria era não morrer sem abraçá-lo”, e desafiou o ditador Reynaldo Bignone “a dizer que eu o persigo”. Reivindicou a Justiça e alertou que “é preciso nutri-la porque não queremos que esta história se repita”.

Em 25 de agosto de 1978, a Polícia entregou aos Carlotto o corpo assassinado de Laura, que foi sequestrada quando estava grávida e, segundo testemunhas, conseguiu estar com seu filho Guido por apenas cinco horas. Desde então, Estela, junto de outras Avós da Praça de Maio, encarou uma longa busca. “Apesar de tudo, minha fé está inteira. Talvez porque não tenho rancor, não tenho sentimentos que me envenenam”, disse alguns anos atrás. Em 26 de junho de 2011, a própria Estela publicou no Página/12 a meu querido neto Guido:

“Hoje você completa 33 anos. A idade de Cristo, como diziam, como 'dizemos' nós velhas. Com esta inspiração, penso em Herodes, que “te mataram” no momento do nascimento ao apagar seu nome, sua história, seus pais. Laura (Maria), sua mãe, estará chorando neste dia por sua crucificação, e de uma estrela vai esperar sua ressurreição para a verdadeira vida, com sua identidade real, recuperando sua liberdade, arrebentando as grades que te oprimem. Querido neto, o que eu não daria para que você aparecesse nas mesmas ruas em que te procuro desde sempre. O que eu não daria para te dar este amor que me afoga por tantos anos de tanto guardá-lo. Espero por esse dia com a certeza de minhas convicções, sabendo que, além da minha felicidade pelo encontro de seus pais, Laura e Chiquito e teu avô Guido no céu, nos apertarão no abraço que não nos separará jamais”.

O neto de Estela é o músico Ignacio Hurban, pianista, arranjador e compositor. Tinha dúvidas sobre sua identidade e se apresentou voluntariamente para fazer o exame de DNA.


Tradução: Daniella Cambaúva

Um comentário:

Linhares disse...

Grande amigo JADSON! Prazer em revê-lo, sempre nas suas aventuras, estamos esperando outra visita aqui em Manaus. Um grande abraço