quarta-feira, 18 de junho de 2014

NICARÁGUA: COMEÇA COLÓQUIO SOBRE ANTI-IMPERIALISMO



Noam Chomsky (Foto: Prensa Latina)
Manágua, 17 junho (Prensa Latina) - Intelectuais de todo o continente participam a partir de hoje no colóquio internacional O Anti-imperialismo Latino-americano, Discursos e Práticas, que começa nesta capital.

De acordo com a Associação para o Fomento dos Estudos Históricos na América Central, este colóquio é um espaço de discussão sobre as novas iniciativas de autonomia latino-americana que põem em vigência a ideia do anti-imperialismo na região.

A atual conjuntura é propícia para novas reflexões, para o intercâmbio de ideias e análises em torno da clássica questão do anti-imperialismo latino-americano como fenômeno discursivo-simbólico e como prática sociopolítica, ressaltou a associação.

Segundo o programa do evento, o intelectual norte-americano Noam Chomsky ministrará nesta jornada inaugural a primeira palestra do encontro.

Além de Chomsky, participarão acadêmicos, pesquisadores, politólogos (cientistas políticos) e intelectuais de renome como o ex-chanceler nicaraguense Miguel D'Escoto, que abordará o tema da origem e natureza do imperialismo.

Por sua vez, Adalberto Santana se referirá ao legado de Sandino no século XXI, a quem se dedica o colóquio, enquanto outros palestrantes debaterão sobre o pensamento anti-imperialista do continente, o assédio contra Venezuela e a independência cultural, entre outros tópicos.

A Universidade Católica Redemptoris Máter, localizada em Manágua, será a sede e uma das organizadoras do evento em conjunto com o Conselho Latino-americano de Ciências Sociais (Clacso), e outras instituições. O encerramento do mesmo está previsto para o dia 21 de junho.

Nenhum comentário: