sexta-feira, 6 de junho de 2014

MTST VAI AO JOGO DO BRASIL E DIZ QUE A HORA DE REIVINDICAR É AGORA


(Foto: Viomundo)

COPA SEM POVO

MTST fala de ‘ações radicais’ em São Paulo se não tiver respostas até amanhã

Movimento considera satisfatórias as ações da prefeitura da capital paulista para habitação, apresentadas ontem, mas quer atendimento de reivindicações nas outras esferas de governo.

O coordenador do MTST ressaltou que a onda de protestos realizados pelo movimento têm o claro interesse de “aproveitar os holofotes” que o país recebe e receberá durante a Copa. “Se a gente não conseguir agora, vocês acham que vai acontecer alguma coisa quando os holofotes forem embora? Claro que não. Por isso, estamos fortes e mobilizados neste momento.”

por Rodrigo Gomes, da RBA - publicado 05/06/2014 

Reproduzido do blog Viomundo, onde foi publicado em 5 de junho de 2014 às 23:48

São Paulo – O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, afirmou ontem (4) que o movimento vai realizar ações radicais nos próximos dias e que a abertura da Copa do Mundo de 2014, na Arena Corinthians (Itaquerão), zona leste de São Paulo, pode ser pintada de vermelho, caso as reivindicações do movimento não sejam atendidas até amanhã (6). “Daqui uma semana é a abertura. Estamos mostrando que já conhecemos o caminho. Se não resolverem, vai ter muita gente de verde e amarelo, mas de vermelho também”, ameaçou Boulos.

Antes disso, o movimento pretende testar uma ação que poderia se repetir na Copa e burlar o esquema de segurança da chamada área de exclusão de dois quilômetros em torno dos estádios. Os sem teto pretendem fechar avenidas da cidade durante o jogo amistoso entre as seleções de Brasil e Sérvia, na sexta-feira, 16h, no estádio do Morumbi, na zona sul da cidade. “Se até sexta-feira não tivermos resposta para as nossas reivindicações, não sei se a torcida vai conseguir chegar ao estádio”, afirmou Boulos (conforme informação divulgada nesta sexta, hoje, dia 6, pelo site 247, o movimento fez um acordo com o governo federal para evitar o fechamento de avenidas hoje).

Além disso, o grupo prometeu agir durante o 64º Congresso Fifa. “O povo também vai de penetra no Congresso da Fifa ”, disse Boulos. O evento será realizado nos dias 10 e 11 deste mês, no Transamérica Expo Center, em Santo Amaro, zona sul de São Paulo.

A insatisfação do movimento se dá, sobretudo, nas pautas relacionadas ao governo federal. O movimento reivindica mudanças no Programa Minha Casa, Minha Vida, que fortaleçam a modalidade entidades e estabeleçam regras que estimulem melhores localização e qualidade nas construções. Eles também pedem o controle público do reajuste de aluguéis, que coloque o índice inflacionário como teto, além de uma política preventiva contra despejos forçados, com a formação de uma Comissão de Acompanhamento, ligada à Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República.

O MTST também dirige a pauta ao governo do estado, administrado por Geraldo Alckmin (PSDB). Entre as demandas está o aumento dos recursos destinados ao programa Casa Paulista, que hoje concede R$ 20 mil de subsídio por unidade habitacional.

Para ler mais no Viomundo:

Nenhum comentário: