quinta-feira, 5 de junho de 2014

BASEM TAJELDINE: O IMPÉRIO AUMENTARÁ A ESCALADA DE AGRESSÕES CONTRA A VENEZUELA

Basem Taljedine Analista de política internacional
Basem Taljedine, analista de política internacional (Foto: Aporrea TVI)

Por Prensa Web YVKE – reproduzido do portal venezuelano Aporrea.org, de 03/06/2014

O analista internacional Basem Tajeldine assegurou que o governo dos Estados Unidos aumentará a escalada de agressões contra a Venezuela, apesar da secretária de Estado norte-americana para o Hemisfério Ocidental, Roberta Jacobson, ter afirmado que a adoção de sanções contra nosso país poderia ser contraproducente.

“Os Estados Unidos procuram 'sancionar' (funcionários venezuelanos),  eles dizem assim; no entanto, isso é chantagear diretamente o governo de Nicolás Maduro, embora até agora não tenham proposto uma arremetida contra a economia venezuelana”, avaliou Tajeldine.

Durante sua participação no programa “Temprano Con” (“Cedo com”), transmitido por YVKE Mundial, o investigador de assuntos geopolíticos internacionais, não descartou que o governo de Barack Obama proponha mais adiante sanções econômicas contra a Venezuela, tal como o fez contra Cuba, Irã, Síria e Rússia, dentre outros países.

Basem Tajeldine enfatizou que a burguesia nacional pretendeu, durante as reuniões da mesa de diálogo, “criar um Pacto de Punto Fijo (pacto político que vigorou no país na segunda metade do século 20) com o Governo Bolivariano, no qual se deixaria para trás todos os avanços (políticos, econômicos, sociais e culturais) que desenvolvemos nos últimos anos”.

A respeito das declarações feitas na segunda-feira pelo secretário geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, que disse que a saída do conflito na Venezuela requer “concessões e dialogar sem preconceitos”, Tajeldine analisou que tal manifestação “dá a entender a coordenação dirigida pelos EUA quanto aos pronunciamentos contra o governo venezuelano”.

Basem Tajeldine lembrou que organismos como a Comunidade dos Estados Latino-americanos e do Caribe (Celac) e a União das Nações Sul-americanas (Unasul) neutralizam as aspirações políticas e de domínio dos Estados Unidos na América Latina e Caribe.

Tradução: Jadson Oliveira


Nenhum comentário: