domingo, 22 de junho de 2014

ATILIO BORON: A PRECE DE DICK CHENEY



Dick Cheney (Foto: Página/12)
Não reza pelos mortos, pelos mutilados, pelas centenas de milhares de órfãos. Não; este estadista exemplar da exemplar democracia estadunidense reza pelo petróleo e pelos bilhões que podem perder a Halliburton e as petroleiras norte-americanas.

Por Atilio A. Boron (*) – no jornal argentino Página/12, edição de 20/06/2014

“Meus pensamentos e minhas preces estão com os poços de petróleo iraquianos”. É o que acaba de declarar Dick Cheney, ex-vice-presidente dos Estados Unidos sob George W. Bush. Textualmente disse: “My thoughts and prayers are with the Iraqi oil wells”. (Fonte: http://www.newyorker.com/onli ne/blogs/borowitzreport/2014/06/dickcheneymy thoughtsandprayersarewiththeiraqioilwells.html#entrymore). Cheney é um criminoso de guerra que juntamente com seu chefe, George W. Bush, invadiu o Iraque, destruiu uma das mais antigas civilizações do planeta, provocou a morte de mais de um milhão de pessoas e o deslocamento de vários milhões mais, e alterou definitivamente, para pior, o delicadíssimo equilíbrio político que havia feito possível a convivência de distintos ramos do Islã num só país.

Este personagem foi durante longos anos membro da direção da Halliburton, ainda quando desempenhava o cargo de vice-presidente. Várias denúncias indicam que entre 2003 e 2006 essa empresa foi beneficiada com contratos de “reconstrução” no Iraque no valor de 16 bilhões de dólares, em sua maior parte realizados de maneira direta e sem licitação.

Logo após a “tarefa civilizadora” das tropas norte-americanas, o Iraque se afundou numa luta fratricida duma virulência poucas vezes vista. Agora Cheney confessa o que sabíamos que subjazia à mentirosa prédica norte-americana quando declarava que os EUA iam ao Iraque para levar a liberdade, a justiça, a democracia e os direitos humanos. É a mesma coisa que estão querendo fazer na Síria, Ucrânia e Venezuela, e temos que estar em permanente vigilância para frustrar seus tenebrosos desígnios. O que Cheney revela pode ser descrito poeticamente, parafraseando um verso dos Beatles: “All you need is OIL, OIL is all you need!” (Tudo que você necessita é PETRÓLEO, PETRÓLEO é tudo que você necessita).

Não é amor senão petróleo. Não reza pelos mortos, pelos mutilados, pelas centenas de milhares de órfãos. Não; este estadista exemplar da exemplar democracia estadunidense reza pelo petróleo e pelos bilhões que podem perder a Halliburton e as petroleiras norte-americanas. O mais não lhe importa. É um canalha, porém, vamos admitir, pelo menos é sincero.

* Diretor do PLED, Centro Cultural da Cooperação Floreal Gorini. (Sociólogo argentino).

Nenhum comentário: