terça-feira, 27 de maio de 2014

VENEZUELA: MULHERES DE PREFEITOS PRESOS GANHAM ELEIÇÃO PARA SUCEDÊ-LOS



Patricia de Ceballos, mulher do destituído prefeito de San Cristóbal, Daniel Ceballos, deposita seu voto durante as eleições deste domingo, dia 25, na Venezuela (Foto: Reuters/La Jornada)
Nos dois feudos tradicionalmente opositores, as mulheres dos prefeitos presos lograram vitórias mais folgadas do que as conseguidas por seus maridos em dezembro.

Por AFP – traduzido do sítio web do jornal mexicano La Jornada, de 25/05/2014

De San Cristóbal (estado de Táchira-Venezuela) - As mulheres dos dois prefeitos opositores venezuelanos destituídos e encarcerados faz dois meses, acusados de apoiar os protestos contra o presidente Nicolás Maduro, ganharam por ampla maioria as eleições deste domingo para sucedê-los nas prefeituras de San Cristóbal (estado de Táchira, no oeste) e de San Diego (estado de Carabobo, norte).

Em San Cristóbal, berço dos protestos, onde votaram 121 mil 212 pessoas, a mulher de Daniel Ceballos, Patricia de Ceballos, logrou 73,62%, enquanto que seu concorrente Alejandro Méndez, um advogado de 33 anos do governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), ficou com um tímido 25,52%.

Em San Diego, onde votaram 60 mil 500 pessoas, a mulher de Enzo Scarano, Rosa de Scarano, ganhou com um folgado 87,68% dos votos, enquanto que o candidato governista Alexis Abreu conseguiu somente 11,63%, segundo o primeiro boletim parcial divulgado pela junta municipal eleitoral.

Nestes dois feudos tradicionalmente opositores, as mulheres dos prefeitos presos lograram vitórias mais folgadas do que as conseguidas por seus maridos em dezembro, o que muitos consideram uma clara mensagem de repúdio às detenções ordenadas pela Justiça venezuelana.

A abstenção em San Cristóbal foi de 41%, enquanto que em San Diego foi de 36%.

Daniel Ceballos e Enzo Scarano haviam ganho com folga as eleições municipais de dezembro último (com 67% e 75,24% dos votos), mas o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) convocou novas eleições para este domingo depois que, em março, foram condenados a um ano e a 10 meses de prisão, respectivamente, por sua suposta responsabilidade nos piores protestos enfrentados por Maduro em seu primeiro ano de governo.

As ruas próximas ao comando de campanha de Patricia de Ceballos, em Bairro Obero (centro desta cidade fronteiriça com Colômbia) se congestionaram com os automóveis e centenas de pessoas que celebraram com fogos de artifício a vitória opositora.

Tradução: Jadson Oliveira

Nenhum comentário: