quinta-feira, 8 de maio de 2014

AS CONSEQUÊNCIAS GRAVES DO JORNALISMO DESCEREBRADO

Fabiane Maria de Jesus, 33 anos, foi espancada até a morte no Guarujá. Moradores atribuíram a ela o inexistente sequestro de crianças (Foto e legenda: do Viomundo)
Direitos Humanos


A subsombra desumana de Raquel Sheherazade

Jean Wyllys: “Como a jornalista cafona se sentiria se um grupo de pessoas, fazendo “justiça com as próprias mãos”, decide linchá-la por sua apologia ao linchamento?”

Por Jean Wyllys - publicado em 06/02/2014, na revista Carta Capital (reproduzido do blog Viomundo, postagem de 06/05/14)


“A mais triste nação, na época mais podre, compõe-se de possíveis grupos de linchadores”.

Esta frase é, na verdade, um verso de Caetano Veloso, que, no início na década de 1990, indignado com uma onda de linchamentos no Brasil ainda subdesenvolvido, escreveu a canção “O cu do mundo”. Recorrendo ao fato linguístico de que palavra “cu” poder ser classificada como adjetivo ou substantivo comum, Veloso canta que o Brasil , “cu do mundo” (periferia das potências e dos centros de decisão da política internacional), seria, pela frequência com que linchamentos acontecem por esse sítio, um “cu” (no pior sentido desse “adjetivo esdrúxulo”: sujo, fedido, péssimo, insuportável).

O linchamento é — imagino que todos saibam disso — a violência dura (espancamentos e assassinatos) perpetrada por um grupo de pessoas como punição contra um indivíduo acusado de ter praticado algum delito, mas sem o devido processo judicial e em detrimento dos direitos fundamentais de toda pessoa humana garantidos pelas leis.

Há uma controvérsia sobre a origem da palavra “linchamento”. Alguns autores a atribuem ao coronel Charles Lynch, que fazia “justiça com as próprias mãos” durante a guerra de independência dos Estados Unidos. Outros, porém, defendem que a palavra é derivada do fato de o capitão William Lynch, do estado da Virgínia, ter mantido, por volta de 1780, um grupo de pessoas que, à margem da lei, punia com morte violenta os inimigos.

Em ambos os casos, a violência praticada pelo grupo contra os delinquentes reais ou supostos estava eivada de ódio racial contra os índios e os negros. Aliás, esses grupos foram o embrião da Ku Klux Klan.

Duas décadas depois daquele desabafo em forma de canção feito por Caetano Veloso, a “subsombra desumana dos linchadores” a que ele se refere volta a escurecer o céu de nosso frágil estado democrático de direito.

Para ler mais e ver vídeos no Viomundo:

Nenhum comentário: