segunda-feira, 7 de abril de 2014

HOMEM É PRESO SEIS VEZES AO RECUSAR SERVIR O EXÉRCITO DE ISRAEL

 

Omar Saad, druso de 18 anos de idade, foi preso pela primeira vez em dezembro de 2013 por recusar-se a servir o Exército israelense
Omar Saad, druso de 18 anos de idade, foi preso pela primeira vez em dezembro de 2013 por recusar-se a servir o Exército israelense
"Como um druso árabe, me considero parte do povo palestino e, por isso, como posso fazer parte de um Exército que ocupa o meu povo?"

Por Correio do Brasil, com Portal Vermelho, 06/04/2014

Omar Saad, um druso de 18 anos cidadão de Israel, foi preso pela sexta vez por recusar-se a servir o Exército que ocupa os territórios palestinos. “Declaro que recusarei a servir o Exército mesmo que seja preso 60 vezes”, escreveu em sua página no Facebook, no final de março, de acordo com o portal Intifada Eletrônica. Saad integra a minoria drusa (comunidade religiosa e social no Oriente Médio) que, ao contrário dos palestinos com cidadania israelense, é obrigado a servir as Forças Armadas.

Saad foi preso pela primeira vez no início de dezembro do ano passado depois de ele e seus irmãos terem cantado uma música de protesto às portas de um centro militar israelense na Galileia, onde reside a maioria dos palestinos no atual Estado de Israel. Desde então, ele recebeu seis sentenças consecutivas para 20 dias de prisão.

As autoridades israelenses também negam a Saad os direitos à visita e aos advogados, mas estas restrições arbitrárias foram desafiadas pelo Centro Legal para os Direitos da Minoria Árabe em Israel, Adalah. Um número crescente de jovens drusos está objetando ao serviço militar obrigatório em Israel, enfrentando a prisão quando o fazem.

A questão é pauta para muitos debates no país, uma vez que jovens homens e mulheres são obrigados a servir em condições de grande opressão e violência, e as autoridades planejam aprovar a constrição para palestinos cristãos com cidadania israelense e, de forma mais polêmica, judeus ortodoxos, que ainda são protegidos.

Antes de ser preso pela primeira vez, Saad disse à organização Anistia Internacional: “Não quero fazer parte do Exército israelense porque o governo de Israel é responsável pela ocupação [dos territórios palestinos]. Como um druso árabe, me considero parte do povo palestino e, por isso, como posso fazer parte de um Exército que ocupa o meu povo? Não venderei minhas crenças e a minha identidade.”

Observação do Evidentemente: Este blog restringe sua cobertura aos fatos relacionados ao Brasil/América Latina, mas de vez em quando, como é o caso da matéria acima, não resiste à tentação duma exceção. Além disso, os governos de Israel são os cupinchas mais fiéis do império estadunidense.

Nenhum comentário: