domingo, 20 de abril de 2014

CUBA COMEMORA OS 53 ANOS DA VITÓRIA NA PRAIA GIRÓN

Las jornadas épicas que se conmemorarán este sábado, trascendieron como la primera gran derrota militar de Estados Unidos en América
As jornadas épicas foram comemoradas no sábado, dia 19, e ficaram na história como a primeira grande derrota militar dos Estados Unidos na América (Foto: Telesur/Aporrea)



Cinquenta e três anos depois que tropas mercenárias armadas e dirigidas pelos Estados Unidos invadiram o território cubano, a ilha caribenha continua resistindo a novas agressões de Washington, com a concepção defensiva de guerra de todo o povo.

Por Telesur - reproduzida do portal venezuelano Aporrea.org, de 19/04/2014


Cuba comemorou no sábado, dia 19, o 53o. aniversário da vitória na Praia Girón sobre uma força invasora integrada por 1.500 homens financiados pelo governo dos Estados Unidos.

A cerimônia foi nessa localidade costeira, no flanco direito da Baía de Cochinos, no sul da província de Matanzas, a 180 quilômetros a sudeste de Havana, último reduto dos mercenários derrotados em menos de 72 horas.

Cinquenta e três anos depois que tropas mercenárias armadas e dirigidas pelos Estados Unidos invadiram o território cubano, a ilha caribenha continua resistindo a novas agressões de Washington, com a concepção defensiva de guerra de todo o povo.

Moradores da Ciénaga de Zapata, cenário daqueles combates em abril de 1961, participaram do ato político com milicianos, oficiais e chefes militares que atuaram nas ações combativas.

Os atos celebrados ficaram na história como a primeira grande derrota militar dos Estados Unidos em terras das Américas e  símbolo da decisão dos cubanos de dispor de seu próprio destino.

As tentativas de desestabilização atualmente continuam sendo promovidas pelos Estados Unidos não apenas contra Cuba, mas também contra outros países, como são exemplos a Venezuela e Ucrânia.

Sobre isso se conheceu recentemente o programa Zunzuneo, financiado pela Agência dos Estados Unidos para Ajuda Internacional (Usaid), que desenvolveu de maneira secreta uma plataforma de mensagens tipo Twitter para atuar visando segmentos da juventude da ilha.

O presidente Raúl Castro denunciou em 1o. de janeiro último, em Santiago de Cuba, que "ocorrem tentativas de introduzir sutilmente plataformas de pensamento neoliberal e de restauração do capitalismo neocolonial, dirigidas contra fundamentos essenciais da revolução socialista".

Tradução: Jadson Oliveira

Nenhum comentário: