sexta-feira, 28 de março de 2014

VENEZUELA: MOVIMENTOS SOCIAIS CONVOCAM MARCHA CONTRA O TERRORISMO



(Foto: Arquivo Aporrea)
“Cremos que frente a estes ataques, a resposta deve ser mobilização geral e mais poder para o povo, como fez uma e outra vez Chávez quando a revolução estava ameaçada. Só o povo salva o povo, dizia”.

Por: Prensa Movimiento de Pobladores – reproduzido do portal Aporrea.org, de 27/03/2014

O Movimiento de Pobladores (Movimento de Moradores), junto com representantes de Barrios Nuevo Tricolor (Bairros – bairros pobres – Novo Tricolor – referência à bandeira venezuelana com três cores), novos urbanismos e organizações de moradia e habitat, convocam uma marcha para este sábado, 29 de março, a partir da Praça Morelos, para denunciar os ataques contra a Venezuela e levar propostas dos setores populares para o grande diálogo que está convocando o governo nacional.

“Esta marcha quer repudiar as ações de violência terrorista que atores da direita, em conluio com o imperialismo e seus lacaios, realizam contra o povo venezuelano. O mesmo roteiro de 2002 (golpe contra Chávez que durou apenas 48 horas), de 2004. Pretendem colocar o povo e a revolução de joelhos através do terror”, assinalaram representantes do Movimento de Moradores, plataforma que agrupa distintas organizações que lutam pelo direito à cidade.

“Cremos que frente a estes ataques, a resposta deve ser mobilização geral e mais poder para o povo, como fez uma e outra vez Chávez quando a revolução estava ameaçada. Só o povo salva o povo, dizia. E esta tarefa, a mobilização popular, é agora mais urgente do que nunca. Para vencer a direita e a conspiração, temos que transformar um Estado que se mostra débil para acometer as tarefas de aprofundar a revolução e construir o socialismo”, afirmaram.

“Finalmente, queremos levar propostas das bases populares para o debate pela paz que se está convocando. Não pode haver paz sem o povo, não pode haver diálogo sem escutar o povo. O diálogo não pode ser unicamente com as cúpulas empresariais e os ricos do país, que nunca vão estar interessados na paz e sim em apropriar-se das riquezas do país e em manter seus privilégios. O diálogo tem que ser com o povo, escutar suas propostas e demandas. Como setor vinculado com o direito à moradia, ao habitat e à cidade, nos preocupa a discussão com a Câmara da Construção e com a Câmara Imobiliária, que apresentam propostas que significam um verdadeiro retrocesso nos avanços destes últimos anos, como a revogação da lei de aluguéis e de outras regulações que protegem o povo”.

Continua em espanhol:

“Nosotros, en tal sentido, llevamos un conjunto de propuestas que buscan profundizar en la construcción del poder popular y en la construcción del socialismo, en lo que se refiere a la lucha por la vivienda y el hábitat digno. Planteamos que le 10% de los recursos de la Gran Misión Vivienda Venezuela (terrenos, financiamiento, materiales, asistencia técnica) se destine para proyectos populares y autogestionarios de vivienda (moradia), que las organizaciones populares sean reconocidas como entes ejecutores en vivienda y hábitat, que la Gran Misión Barrio Nuevo Barrio Tricolor sea controlada por la comunidades en todos sus ámbitos (planificación, administración y coordinación, ejecución), que se dé la propiedad de la tierra a las quienes viven en los barrios, que se enfrenten los desalojos arbitrarios y se restituya el derecho a la vivienda de familias desalojadas, que se enfrente decididamente la especulación inmobiliaria, que se profundice en la protección de las trabajadoras residenciales (antes conserjes), entre otras .

Finalmente, queremos que se convoque a una Conferencia de Paz de las ciudades, que nos permita discutir un programa democrático para la ciudad. Con las guarimbas (barricadas na rua com atos violentos), se pone en evidencia una vez más las profundas desigualdades en campo urbano, donde los ricos creen que pedazos completos de las ciudades, las urbanizaciones de clase alta, son de su propiedad exclusiva, como en el feudalismo, pretendiendo utilizarlas como base para amedrentar (amedrontar) al resto de la población”.

“La marcha será este sábado a las 9 de la mañana desde plaza Morelos, estación Bellas Artes, e invitamos (convidamos) a todas las organizaciones populares y al pueblo en general”

Tradução: Jadson Oliveira

Nenhum comentário: