quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

IMPRENSA NA CHINA E NO BRASIL: ALGUMA DIFERENÇA?

Evidentemente não existe aqui um Partido Capitalista Brasileiro distribuindo orientações para que a imprensa
Evidentemente não existe aqui um Partido Capitalista Brasileiro distribuindo orientações para a imprensa (não precisa, é como se existisse) (Foto: Correio do Brasil)
Bernardo Kucinski e eu já argumentamos que apesar das eventuais divergências existentes na disputa de mercados, no Brasil, a grande mídia trabalha dentro de uma mesma lógica, como se existisse um único editor, um supra editor.

Por Venício A. de Lima, de Brasília - reproduzido do jornal digital Correio do Brasil, de 31/12/2013

A filial brasileira da Thomson Reuters – “a maior agência internacional de notícias e multimídia do mundo”, com sede em New York, Estados Unidos – divulgou recentemente uma matéria sob o título “China orienta imprensa contra “pontos de vista errados”.

O texto foi reproduzido no Estadão e, posteriormente, em dezenas de jornais, portais e blogs Brasil afora (basta colocar o título da matéria no Google para verificar).

Trata-se de diretriz do Partido Comunista Chinês, sob orientação do novo presidente Xi Jinping, que determinou “à imprensa estatal que pare de noticiar ‘pontos de vista errados’, e que em vez disso cubra histórias positivas, que promovam ‘valores socialistas’.”  De acordo com as novas diretrizes, comenta a Reuters, busca-se reforçar “os valores socialistas centrais” e os meios de comunicação devem “manter resolutamente a correta orientação da opinião pública”. A matéria informa ainda que, segundo as recomendações, “os órgãos noticiosos e editoriais e quem trabalha no setor devem fortalecer a autorregulamentação e aumentar com seriedade seu senso de responsabilidade e a capacidade de promover os valores socialistas centrais”.

Parágrafos omitidos

Curiosamente a Reuters Brasil, o Estadão e todos os demais, sem qualquer explicação para o leitor brasileiro, reproduziram apenas seis (6) dos onze (11) parágrafos da matéria original, divulgada pela própria Reuters.

Nos parágrafos omitidos as diretrizes do Partido Comunista Chinês, divulgadas pela agencia oficial Xinhua, explicitam que “os valores socialistas centrais” incluem “ideais sublimes como democracia, igualdade e estado de direito, mas também as posições orientadoras marxistas na China de hoje”.

China vs. Brasil

Sem entrar na questão sobre a natureza do regime chinês – socialismo ou país de economia mista, dirigido por um partido único? – o mais interessante, todavia, é comparar as orientações para a imprensa “estatal” na China com o comportamento padrão da imprensa privada em países capitalistas, como o Brasil.

Para ler mais:

Nenhum comentário: