terça-feira, 5 de novembro de 2013

VENEZUELA VAI PROPOR NA ALBA, MERCOSUL E UNASUL REDES DE COMUNICAÇÃO ALTERNATIVAS




(Foto: Nodal)
Por Nodal – Notícias da América Latina e Caribe, de 04/11/2013

O presidente da República, Nicolás Maduro, anunciou no sábado (dia 2) que apresentará uma proposta na Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA), no Mercado Comum do Sul (Mercosul) e na União das Nações Sul-americanas (Unasul) para barrar o ataque informativo da direita internacional contra governos progressistas.

“Eu proponho que formulemos uma proposta para fazê-la oficial na ALBA e no Mercosul, e nos tornemos independentes dos que pretendem manipular. Vamos fazer novas redes de comunicação de maneira que não sejam espionadas”, precisou o chefe de Estado venezuelano.

Desta forma, indicou que é necessário fazer frente ao ataque informativo através da criação de novas redes de comunicação livres da influência estrangeira.

“Nós temos que nos independizar, temos que pensar nas modalidades profundas e radicais para nos independizar dessas empresas transnacionais que monopolizam as redes sociais, já outros países do mundo o fizeram e eu proponho que formulemos uma proposta com as experiências que já temos para fazê-la oficialmente”, sustentou o presidente Maduro.

De igual maneira, expressou seu rechaço absoluto ao ataque às contas oficiais da rede social Twitter de quase todo seu gabinete executivo, qualificando esta ação da direita internacional como uma arremetida contra um governo e um povo.

“Eliminaram 6 mil e 600 contas, onde se viu isso!, contas ativas e geradoras de opinião que prestavam serviços de informação, não são qualquer conta, porque a direita tem o que chamam os “motorcitos”, para criar contas falsas todos os dias e assim fazer campanhas de ataque informativo”, explicou.

Neste sentido, defendeu que exista a democracia e o equilíbrio da empresa Twitter, argumentando que estas são armas que em alguns casos são utilizadas para conspirar contra governos em outros lugares do hemisfério e do mundo, já que são ferramentas às quais o povo tem acesso.

Tradução: Jadson Oliveira

Nenhum comentário: