quarta-feira, 13 de novembro de 2013

REELEITO, RUI FALCÃO DEFENDE UNIDADE DO PT PARA 2014

Rui Falcão (Foto: Internet)

Em mensagem dirigida à militância, ele conclama todos à unidade partidária, com o objetivo prioritário de reeleger a presidenta Dilma Rousseff. 

Por Najla Passos, no portal Carta Maior, de 12/11/2013

Brasília - O deputado Rui Falcão (SP) foi reeleito presidente nacional do PT com cerca de 70% dos votos dos quase meio milhão de filiados que foram as urnas participar do Processo de Eleições Diretas (PED), no último domingo. O partido possui 1,7 milhões de filiados, mas somente 806 mil estavam aptos a votar no pleito. Os números finais da eleição ainda estão sendo consolidados. Segundo a assessoria de imprensa, os diretórios regionais tinham até a meia-noite desta terça para enviar os resultados ao diretório nacional.

Candidato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidenta Dilma Rousseff, Falcão representa o grupo político majoritário no PT, formado pelas correntes Construindo um Novo Brasil, Novo Rumo e PT de Luta de Massas, reunidas na chapa Partido que Muda o Brasil. Quando a apuração estava quase concluída, Falcão gravou uma mensagem dirigida à militância, agradecendo a confiança, mas, principalmente, conclamando à unidade partidária, com o objetivo prioritário de enfrentar as eleições 2014. .

“O momento agora é de “unidade partidária, de aplicar as resoluções do nosso 4º Congresso, nos dirigir de forma mais enfática para a juventude e para os movimento sociais. Para isso, conclamo que todos companheiros e companheiras nos apoiem para criar uma direção coletiva, forte, voltada para as tarefas que temos pela frente e, principalmente, para que estejamos juntos nas eleições de 2014, para reeleger a presidenta Dilma, para dar continuidade ao nosso projeto nacional iniciado pelo presidente Lula no Brasil, e para que a gente possa reeleger governador, ampliar a nossa bancada de senadores, deputados estaduais e federais. Que a força do PT, mais uma vez, se afirme para além do PED e das campanhas eleitorais”, afirmou.

Dentre as pautas prioritárias da legenda, ele citou a urgência da reforma política, a necessidade de se apressar a reforma agrária e de discutir uma reforma tributária progressiva, além da democratização da mídia. No plano interno, elencou como principais desafios a melhoria da comunicação do PT e a ampliação dos instrumentos de formação da legenda.

Paulo Teixeira: qualificar alianças

Segundo colocado no pleito, o deputado Paulo Teixeira (SP), da Mensagem ao Partido, se disse satisfeito com o resultado, já que o grupo que representa conseguiu um percentual de votos maior do que na eleição passada, além de ter conquistado o apoio de intelectuais e militantes históricos como Marilena Chauí, Maria da Conceição Tavares, Tarso Genro e Olívio Dutra, entre outros, além de 27 deputados.

Segundo ele, se a corrente Movimento PT tivesse saído com candidato próprio ao PED como fez na eleição passada com o lançamento da candidatura da hoje ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, o pleito teria ido para segundo turno.

“Nós nos colocamos como segunda força política no PT para dar continuidade a agenda de mudanças dentro do partido. Vamos continuar conversando com as outras forças para construir um bom programa partidário, como fizemos no último congresso, que enfrente temas como a reforma política, a democratização da mídia e a reforma tributária. Também iremos trabalhar por uma melhor qualificação das nossas alianças e pela reaproximação com a juventude e os movimentos sociais”, disse ele à Carta Maior.

Nenhum comentário: