segunda-feira, 11 de novembro de 2013

RANGEL AOS CONSPIRADORES NA VENEZUELA: “NÃO SE EQUIVOQUEM DE NOVO”




José Vicente Rangel é um jornalista bem conceituado (tem um programa na noite do domingo na Televen, TV privada, e uma página semanal no jornal privado de maior circulação no país, Últimas notícias) e também um político chavista (foi ministro e vice-presidente de Chávez, era ministro da Defesa quando do golpe de 2002) (Foto: Aporrea)
O jornalista venezuelano advertiu, a setores da direita, que a situação atual do país não é a mesma do ano 2002 quando promoveram o Golpe de Estado (golpe de 11 de abril de 2002, Hugo Chávez voltou à presidência dois dias depois).

Por Agência Venezuelana de Notícias (AVN) – do portal Aporrea.org, de 10/11/2013

O jornalista (e político chavista) José Vicente Rangel afirmou no domingo, dia 10, que os setores da direita não têm "escrúpulos" ao levar adiante a sabotagem da economia, com o que prejudicam o povo mais do que o próprio governo nacional.

Rangel sustentou que esses setores apelarão a uma saída violenta ao participar nas eleições municipais do próximo dia 8 de dezembro, uma ação que relacionou com a guerra econômica que executam através da especulação e da estocagem de alimentos.

"Não têm escrúpulos de apelar para o desabastecimento, para a sabotagem da economia, com o que castigam mais o povo do que o governo", disse durante seu programa José Vicente Hoy (José Vicente Hoje), transmitido pela (emissora privada de TV) Televen.

O jornalista advertiu, a esses setores, que a situação atual do país não é a mesma do ano 2002 quando promoveram o Golpe de Estado (golpe de 11 de abril de 2002, Hugo Chávez voltou à presidência dois dias depois).

Destacou que atualmente a "Força Armada Nacional Bolivariana (Fanb) está blindada ante qualquer aventura, setores importantes do empresariado rechaçam repetir erros, a rua não os apoia, a indústria petroleira está nas mãos do Estado e na igreja católica houve mudanças relacionadas com as novas orientações do Vaticano".

No entanto, disse: "(A direita) não quer se dar conta de que, comparativamente com a situação que existia em 2002: penetração desses setores nos altos comandos da Fanb, vasto apoio empresarial, capacidade de mobilização nas ruas, controle da Pdvsa (estatal do petróleo); agora carecem de tudo isso".

"Hoje em dia a situação é completamente diferente, mas esses setores que posam de espertos não o percebem ou preferem ignorá-la para não alterar planos nos quais alguns ingênuos estão comprometidos.
Assim, ignoram advertências que deveriam dissuadi-los. Um conselho: Não se equivoquem de novo, os estão esperando na baixada (‘bajadita’)", exortou Rangel, falando a esses setores da direita. 


Tradução: Jadson Oliveira

Nenhum comentário: