terça-feira, 5 de novembro de 2013

2015, A INTERNET CAPTURADA

Manifestação durante o Fórum: o marco civil da internet - Campus Party Brasil 2013, 30/01/2013 (Foto: Cristiano Sant'Anna Indicefoto)
Em semana decisiva, o Marco Civil da Internet, construído com a sociedade, corre o risco de virar um acordo entre as teles e a Globo. No texto abaixo, o ciberativista João Carlos Caribé prevê como seria o futuro da rede se o lobby desses setores econômicos vencer o debate. 

Por João Carlos Caribé, no blog Entropia - reproduzido do sítio web da revista Fórum, de 05/11/2013

A expectativa para a Campus Party 2015 já não era grande, aliás pouco importa agora, fazia pouco tempo que a Internet havia acabado, agora a rede é toda facetada, mil pacotes de serviços, aquele blog que eu gostava de acompanhar demora demais para carregar, e sempre aparece uma mensagem para conhecer um novo blog, que paga mais taxa de visibilidade às empresas de Telecom, as novas donas da antiga Internet. É tudo muito complicado, cada provedor de acesso oferece um pacote de serviço diferente, uns com 100 horas de Skype, outros com vídeos ilimitados, mas só no Youtube, tal como na telefonia celular no fim é tudo a mesma enrolação. A criatividade está em baixa, cada novo protocolo precisa ser analisado pelos novos donos da Internet, tenho me sentido uma espécie de prisioneiro, as pessoas com quem me relacionava nas redes sociais estão mais distantes, nem todos assinam o mesmo plano agora.  Sinto fortemente que minha liberdade ficou no passado junto com a Internet, aquele negócio de democratização do  conhecimento e inclusão digital agora parece não fazer o menor sentido, Internet é só para quem pode pagar, agora temos a Internet do rico, bem mais cara, a “ilimitada” que é semelhante a que conhecemos hoje, os milhões de opções de pacotes e a Internet de pobre que é uma vergonha. A universalização, ou melhor o PNBL ficou restrito ao email e navegação sem figuras, qualquer outro serviço é tão lento que lembra as velhas conexões discadas de 14,4 kbps, tanto que as pessoas o tem chamado de Plano Nacional de Bandinha Lerda, aliás ninguém está dando importância para isto agora.

Para ler mais:

Nenhum comentário: