sexta-feira, 20 de setembro de 2013

VENEZUELA: MADURO VOLTA A DENUNCIAR A CAMPANHA DA IMPRENSA PRIVADA CONTRA SEU GOVERNO



(Foto: AVN)
Por Agência Venezuelana de Notícias (AVN – estatal) – reproduzido do portal Aporrea.org, de 17/09/2013

De Caracas - A imprensa nacional e regional dirigida pela burguesia e por famílias com manjados sobrenomes está cartelizada contra o governo revolucionário e democrático e procuram desestabilizar o país, denunciou na terça-feira última o presidente da República, Nicolás Maduro.

"Estão procurando criar condições para uma explosão social, para graves problemas de estabilidade econômica. Isso é todos os dias", criticou Maduro durante uma inauguração no estado de Miranda.

Criticou a posição política e antipatriótica assumida pelos donos dos meios de comunicação privados, os quais ordenaram criar uma matriz de opinião na imprensa escrita de forma a desprezar a importância do reinício das aulas no país (o ano escolar na Venezuela começa neste período do ano).

"Quem pode sentir amargura pelo reinício do ano escolar? Diante da felicidade de meninas e meninos que se levantam, de pais e mães felizes porque esse dia preparam os uniformes de seus filhos e os levam às escolas?", questionou o presidente.

Destacou que uma das principais conquistas da democracia revolucionária é a garantia da educação pública, gratuita e de qualidade no país. A qual se caracteriza ademais pela distribuição de livros de forma gratuita para a formação integral de meninas e meninos.

"Porém se vemos as manchetes da imprensa burguesa, dos manjados sobrenomes, estão comprometidos num plano para destruir a revolução bolivariana, estão comprometidos para tirar os direitos do povo, quando o povo não tinha direitos sociais eles funcionavam como uma sociedade de cúmplices, tapeando todas as vagabundagens", sentenciou Maduro.

Nesse sentido, enviou uma mensagem de alerta ao povo consciente da Venezuela ante a arremetida da direita nacional, qualificada por ele como "inimigos da pátria. Esta imprensa atua como inimigos da pátria", frisou Maduro em referência direta aos meios de comunicação cujos proprietários são as famílias Capriles e Armas.

(No caso de Capriles, trata-se da mesma família de Henrique Capriles Radonski, governador do estado de Miranda e o principal líder da oposição, derrotado nas duas últimas eleições presidenciais. A família Capriles é dona de um dos maiores grupos de comunicação do país, incluindo o jornal de maior circulação, o Últimas Notícias).

Nenhum comentário: