sábado, 14 de setembro de 2013

MORRE GUSHIKEN, O GUERREIRO VISIONÁRIO

Por Renato Rovai, no seu Blog do Rovai, de 14/09/2013

Gushiken foi uma das lideranças sindicais mais capazes da história recente do Brasil. Acha exagero? Pergunte ao Lula qual é a opinião dele acerca dessa frase. Sua liderança não estava apenas associada ao seu carisma ou à sua capacidade de articulação. E ele tinha os dois. Mas Gushiken era maior que isso. Era um intelectual.
(Foto: Bancários SP)

Sua morte aos 63 anos me faz lembrar de um tipo de sindicalismo que está em falta atualmente, o dos líderes brilhantes. Daqueles que se sobrepunham aos grupos e às disputas comezinhas. Que conseguiam reverter a decisão de uma assembléia, mesmo quando suas posições eram polêmicas e minoritárias.

Tive o prazer de conhecer Gushiken. Mas não o de desfrutar de sua amizade. Achava-o bastante reservado. E nunca ousei passar dos cumprimentos formais. Mas quando ele decidiu que não buscaria a reeleição a deputado federal, fui entrevistá-lo. Era editor da Revista dos Bancários, atual Revista do Brasil. Aquela seria sua primeira entrevista sobre o tema e só depois da divulgação da edição ele trataria do assunto com a imprensa tradicional.

Encontrei um Gushiken um tanto aliviado. Ele dizia que era hora de dedicar tempo à família. Que tinha perdido boa parte da infância e adolescência dos filhos vivendo em ponte aérea. E que, ao mesmo tempo, era hora de parar de passar medo. Pois é, Gushiken tinha medo de avião. E me falou uma frase que invariavelmente me recordo ao entrar num. Quanto mais você anda de avião, maior é a chance de dar algo errado num deles.

Naquela entrevista, anunciou que apoiaria o então presidente do Sindicato dos Bancários, Ricardo Berzoini, para sucedê-lo. Em tese, seria a saída do talentoso bancário da vida política.

Para continuar lendo:

Nenhum comentário: