domingo, 15 de setembro de 2013

MÉDICOS CUBANOS CHEGAM A BH NESTE DOMINGO, DIA 15

Protesto nas ruas de BH em defesa dos médicos cubanos (Fotos: Jadson Oliveira)
De Belo Horizonte (MG) - Telma Araújo, militante do movimento de solidariedade a Cuba, avisa que médicos cubanos integrantes do programa Mais Médicos, do governo federal, chegarão neste domingo, dia 15, à capital mineira. São esperados às 18 horas, no Aeroporto da Pampulha e a militância é convidada a recepcioná-los. 

São parte dos médicos cubanos - e também de outros países, além de brasileiros formados no exterior - que chegaram ao Brasil há duas semanas. Depois dum período de adaptação e conhecimento da realidade brasileira em relação ao trabalho que vão desenvolver junto à população mais carente de assistência médica, sob os auspícios do Ministério da Saúde, eles começam a chegar nos estados onde vão atuar. 

Conforme noticiário do sítio na Internet do Yahoo! Notícias Brasil, ontem, sábado, vários desses profissionais do Mais Médicos foram recebidos nas capitais da Paraíba, Tocantins e Paraná. 

Manifestação em BH

Aproveito o ensejo para divulgar fotos de recente manifestação feita pelos mineiros em BH em defesa dos médicos cubanos, alvo de campanha preconceituosa das corporações médicas brasileiras e da mídia direitista. 

O mais visado nesses protestos foi o presidente do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM - MG), João Batista Gomes Soares, que virou notícia nacional pela virulência com que atacou os colegas internacionalistas de Cuba: ameaçou denunciá-los à polícia por suposto exercício ilegal da profissão e chegou mesmo a declarar, conforme noticiado amplamente, que orientaria a categoria de Minas a não socorrer pacientes que viessem a ser vítimas de erros de médicos cubanos. 

Ele tentou negar esta segunda parte da ameaça - que configuraria o descumprimento duma obrigação considerada sagrada na Medicina -, mas não convenceu, conforme matéria publicada pelo blog Viomundo.

Os manifestantes desfilaram da Avenida Afonso Pena (frente do número 1.500, em cujo prédio há escritórios do CRM) até a Rua dos Timbiras, no. 1.200, sede do Conselho. Levaram um caixão de defunto, que foi incendiado, para simbolizar a queima dos interesses mercantilistas da indústria que prospera em detrimento da saúde do povo, em especial das camadas mais necessitadas. Veja algumas fotos:

Nenhum comentário: