sábado, 21 de setembro de 2013

EUA SE DESGASTAM AINDA MAIS COM A AMÉRICA LATINA APÓS BLOQUEIO A MADURO

Repercutiu nas Nações Unidas, nesta sexta-feira, a denúncia do chanceler venezuelano, Elías Jaua
Elías Jaua, chanceler da Venezuela (Foto: Correio do Brasil)
Por Correio do Brasil, com agências internacionais - de Caracas, La Paz e Brasília, de 20/09/2013

Repercutiu nas Nações Unidas, nesta sexta-feira, a denúncia do chanceler venezuelano, Elías Jaua, feita na véspera, de que os Estados Unidos negaram permissão para que o avião do presidente Nicolás Maduro sobrevoasse o território de Porto Rico neste final de semana. Além do apoio do presidente boliviano, Evo Morales, que foi vítima de um boicote norte-americano enquanto voava pela Europa, outros países latino-americanos estudam um protesto conjunto contra os EUA. Há alguns dias, a presidenta brasileira, Dilma Rousseff, cancelou visita oficial a Washington, devido à falta de explicações sobre denúncias de espionagem a ela e à estatal do petróleo, Petrobras.

– Denunciamos isso como mais uma agressão do imperialismo contra o governo da República Bolivariana (da Venezuela). Ninguém pode negar o sobrevoo a um avião que transporta um presidente da República em uma viagem de Estado internacional – afirmou Jaua, completando que não há argumentos válidos para a proibição. Maduro viaja à China, para uma visita oficial.

Segundo Jaua, o episódio representa “uma nova agressão, uma nova provocação do imperialismo norte-americano” contra o governo venezuelano, que espera o esclarecimento do caso para definir medidas a serem tomadas.

Durante um encontro com governadores, transmitido pela televisão estatal do país, Maduro se referiu ao caso:

– O governo dos EUA nos nega a permissão de sobrevoo para irmos à China. Bom, eu ordenei que façam alguma coisa, um percurso maior. Mas o governo dos EUA não vai nos impedir de ir à China. O que está acontecendo com os EUA? Por que tanto nervosismo? Por que tanto desespero? – questionou o chefe de Estado. Segundo Jaua, o governo venezuelano espera o esclarecimento do caso para definir as medidas a serem tomadas.

Para ler mais:

Nenhum comentário: