terça-feira, 13 de agosto de 2013

HONDURAS: CANDIDATOS A PRESIDENTE ASSINAM PACTO PELOS DIREITOS HUMANOS




Xiomara Castro, mulher do ex-presidente deposto Manuel Zelaya, vem liderando as pesquisas de intenção de votos (Foto: Internet)
De Belo Horizonte – (MG) - Sete dos oito candidatos a presidente de Honduras assinaram, coletivamente, um pacto nacional se comprometendo a respeitar e proteger os direitos humanos, no caso de assunção à presidência através da eleição de novembro próximo. O fato é significativo porque, atualmente, morrem de forma violenta uma média de 20 hondurenhos por dia.

Entre os assinantes está a candidata que vem liderando as pesquisas de intenção de votos: Xiomara Castro, do Partido Liberdade e Refundação (Livre), que é mulher do ex-presidente Manuel Zelaya, que foi derrubado por um golpe de Estado em 2009.  O único que não subscreveu o documento foi o aspirante situacionista Juan Orlando Hernández, do Partido Nacional e atual presidente do Parlamento.

Durante o ato de assinatura do pacto representantes de organizações civis pediram a saída do recinto de Romeo Vásquez Velásquez, que era chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas na época do golpe contra Zelaya (atualmente ele é reformado e atua na política).

O acordo foi patrocinado pelo Ministério da Justiça e Direitos Humanos. Na cerimônia, a ministra Ana Pineda disse que se trata de “um fato histórico” que facilitará a instalação duma “agenda permanente de direitos humanos na gestão pública de Honduras.

Já os candidatos reconhecem no documento assinado que são “conscientes de que Honduras tem uma enorme diferença entre os direitos tal como estão estabelecidos nos instrumentos internacionais e a realidade vivida cotidianamente pelo povo hondurenho”.

“Assumimos o firme compromisso de realizar todos os esforços pessoais e institucionais que sejam necessários para reconhecer, respeitar, proteger, promover e fazer efetivos os direitos humanos", diz o texto subscrito pelos sete candidatos.

A cerimônia foi presenciada pelo ex-vice-presidente da Guatemala e ex-coordenador da Comissão da Verdade em Honduras, Eduardo Stein, pelo representante na Venezuela do Centro Carter (fundado pelo ex-presidente estadunidense Jimmy Carter)Héctor Vanolli, e pelo diretor do Instituto Lula (do Brasil), Paulo de Tarso, todos como testemunhas de honra.

Nas eleições de novembro os hondurenhos vão eleger o presidente, três vice-presidentes, 128 deputados do Congresso Nacional, 20 do Parlamento Centro-americano com seus respectivos suplentes e 298 câmaras municipais.

Conforme tradução de matéria do portal Nodal - Notícias da América Latina e Caribe - de 09/08/2013.

Nenhum comentário: