terça-feira, 23 de julho de 2013

FAÇA PARTE DA ENFF: ENTRE NA ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DA ESCOLA DO MST




Por João Pedro Stédile, Erivan Hilario e Igor Fuser - da Página do MST, de 17/07/2013

Vocês têm acompanhado nossas atividades na luta pela Reforma Agrária e por uma sociedade brasileira com mais igualdade nesses anos todos.

A formação político-ideológica e o processo educativo é tão importante para o MST quanto conquistar a terra para trabalhar e produzir alimentos.

Por isso, estamos enviando uma proposta (clique aqui) para que você se engaje no nosso movimento, ajudando nos processo formativos e na manutenção da Escola Nacional Florestan Fernandes.

Preencha e ficha e envie para associacao@amigosenff.org.br 

Estamos pedindo sua participação e solidariedade. Contamos com vocês!

Um forte abraço, em nome de toda militância do MST e dos movimentos sociais brasileiros.


* Joao Pedro Stedile é da Coordenação Nacional do MST e da Via Campesina,  Eriva Hilario é do coletivo de Direção da ENFF e  Igor Fuser é presidente da Associação de Amig@s da ENFF.

Abaixo, saiba mais da ENFF:
 
Trajetória de construção e manutenção de
uma escola de formação no século 21
A Escola Nacional Florestan Fernandes é uma escola de formação de quadros.  Ela é dirigida  pelos militantes/educadores populares do MST, mas realiza cursos para toda militância dos movimentos sociais brasileiros e de toda América Latina. Seu nome é uma homenagem a um dos maiores pensadores brasileiros que tinha como princípio colocar os conhecimentos científicos a serviço da libertação da classe trabalhadora brasileira, e por isso expressa a síntese da vocação da escola: Florestan Fernandes!

Situada em Guararema (a 70 km de São Paulo), foi inaugurada em 23 de janeiro de 2005 e  foi construída ao longo dos anos de 2000 e 2004, graças ao trabalho voluntário de mais de mil trabalhadores sem terra e simpatizantes. Sua missão histórica é a de atender às necessidades da formação de militantes de movimentos sociais e organizações que lutam por um mundo mais justo.

Os recursos para a sua construção foram obtidos com a venda de fotos de Sebastião Salgado e do livro Terra (fotos de Sebastião Salgado, texto de José Saramago e música de Chico Buarque) e mediante a contribuição de entidades da classe trabalhadora do Brasil, da América Latina e de várias partes do mundo.

Sua manutenção e funcionamento são assegurados pelo apoio de solidariedade nacional e internacionais.    A Escola mantém o princípio que não deve receber recursos governamentais, para manter a autonomia político-ideológica de fidelidade apenas à classe trabalhadora.

A escola desenvolve seus cursos e atividades sempre baseada no princípio da solidariedade e da participação de todos.
 

Assim, todos os professores que nesse período passaram por ela dando aulas sempre o fizeram de forma militante. Todos os trabalhadores que moram na escola o fazem de forma militante.  E todos os trabalhos de manutenção da escola são realizados com  a participação dos próprios estudantes, como um processo autogestionário e do método educativo.
 

Alguns cursos superiores e de pós-graduação são realizados em parcerias com universidades públicas brasileiras, como tem ocorrido com a UNESP e a UNB.
 

A escola mantém dois cursos latino-americanos  para estudantes de todo continente e da  Europa, dentro da perspectiva de fortalecer a integração popular continental, nos marcos da ALBA (Aliança Bolivariana para os Povos da nossa América).   E diversos movimentos sociais brasileiros realizam suas atividades formativas nos espaços da escola, assumindo suas próprias despesas.



Clicar para ver mais informações sobre o funcionamento da ENFF:

Nenhum comentário: