quinta-feira, 11 de outubro de 2012

INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA: “O SÉCULO 21 NOS ENCONTROU EM PROCESSO DE UNIÃO”



Chávez no Balcão do Povo, Palácio Miraflores, na madrugada de domingo para segunda, quando da comemoração da vitória (Foto: AVN)
Pergunta da jornalista Mercedes López San Miguel, do jornal argentino Página/12, durante entrevista coletiva concedida pelo presidente Hugo Chávez, no Palácio Miraflores, em 09/10/2012.

– Acredita que este processo de integração regional depende do triunfo político e a permanência de Hugo Chávez na Venezuela, Cristina Fernández na Argentina, Dilma Rousseff e Lula da Silva no Brasil e Rafael Correa no Equador?

– Eu acredito que se não houvesse a nossa vitória em 1998, a de Lula em 2002, não teria surgido o bolivarianismo contraposto à doutrina Monroe do império. A ALCA (Área de Livre Comércio da América) era um canto ao neoliberalismo. A integração da nossa América que propunha (Simón) Bolívar está mais vigente do que nunca. Depois veio Néstor Kirchner, deixa-me recordar. A primeira cumbre (cúpula, reunião de líderes) de que participamos Fidel e eu foi no Brasil e ele me disse, como bom lobo de mar, “Chávez, preste atenção em Kirchner”, pronunciando forte o “ch”. Logo veio Tabaré (Vázquez, ex-presidente do Uruguai). Se não chega a tempo Lula, se não chega a tempo Néstor, e Tabaré, em Mar del Plata se teria aprovado a ALCA. Eu recordo a batalha de Mar del Plata e o chefe dessa batalha se chamou Néstor Kirchner. Rendo tributo a Néstor (aplausos na sala da entrevista). E Lula, e Tabaré, e não se portou mal o (então presidente) paraguaio Nicanor Duarte Frutos (rememora)... Há um momento em que Néstor  diz a Bush: “No vengan a patotearnos”... (Não consegui traduzir o “patotear”, deve ser algo como “não venham nos enrolar”). Há um momento em que Lula tinha que ir embora, assim como Tabaré e Duarte e então Néstor se aproxima e me pergunta se eu tenho que ir e lhe disse que não. “Vamos ganhar esses caras por cansaço”, disse Néstor. Bush não gostava que me dessem a palavra, não se aguentava, se levantava para ir ao sanitário. Se não tivéssemos derrotado a ALCA não nascia a Unasul. Sem tudo o que fizemos Lula, Evo (Morales), Rafael (Correa), e logo Cristina e o Pepe (José Pepe Mujica, presidente do Uruguai), esta integração, que está apenas nascendo, não existiria. Não é um assunto de pessoas individuais. Cristina disse numa oportunidade “Pela primeira vez os presidentes se parecem com seu povo”, porque somos povo e não somos produto das elites. Como dizia Perón, o século 21 nos encontrará unidos ou dominados. Nos encontrou em proceso de união.

Nenhum comentário: