quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

HOMENAGEM A RÔMULO: “ARTESÃO DO BRASIL INDUSTRIALIZADO”



Rômulo "dedicou sua vida à coisa pública sempre adotando procedimentos
espartanos", conforme diz Emiliano (Fotos: da Internet)
 Da Assessoria de Comunicação Deputado Emiliano José (PT-BA), de 13/12/2011


O deputado federal Emiliano José utilizou a tribuna da Câmara nesta terça-feira, dia 13, para registrar os 23 anos de morte do político, economista, jornalista e professor baiano Rômulo Almeida. Ex-chefe da Assessoria Econômica da Presidência da República, no segundo governo de Getúlio Vargas e, de acordo com o deputado, "uma espécie de artesão do Brasil moderno, do Brasil industrializado", Almeida participou ativamente da constituição da Petrobrás, do Banco do Nordeste e do BNDES. "Com ele, fortaleceu-se a ideia de planejamento e da importância do Estado no desenvolvimento do País", lembrou Emiliano José.

Seguidor das políticas defendidas por Celso Furtado, o economista acreditava que o desenvolvimento está atrelado à distribuição de renda e, na Bahia, sua capacidade intelectual e inteligência foram colocadas a serviço de um novo estado, durante o governo de Antônio Balbino. "A ideia do Polo Petroquímico, toda ela, é de Rômulo Almeida. Tinha a noção clara de que o Nordeste brasileiro não podia depender apenas do setor primário, e que, portanto, a industrialização era absolutamente fundamental para a região", destacou o parlamentar. Este ano, a Transpetro deu o nome do economista a um de seus navios.

Na Bahia, o Instituto Rômulo Almeida de Altos Estudos (Irae) cuida atualmente da manutenção da memória e da contribuição que o progressista deu ao Brasil e ao mundo. Uma nova diretoria do Irae tomou posse no último dia 30 de novembro, contando com a participação de Aristeu Almeida, presidente; Vitor Athayde, como vice; Manuel José de Albuquerque como diretor científico e cultural; Arthur Borges como diretor administrativo e financeiro, e Cláudia Correia como diretora de Comunicação.

Para Emiliano José, "além de ser um pensador refinado, um grande realizador, um planejador raro, Rômulo Almeida foi um homem íntegro, intransigente nos princípios que defendia, que dedicou sua vida à coisa pública sempre adotando procedimentos espartanos". Rômulo Almeida faleceu em 23 de novembro de 1988.


Rômulo deve ser o que está na frente
ao lado de Ulisses
Enfrentando a repressão nas ruas (PS de Evidentemente)


Minha principal lembrança de Rômulo Almeida foi enfrentando a repressão da Polícia Militar no Campo Grande, região do centro de Salvador, onde ficava a sede do antigo MDB (depois PMDB). Era a segunda metade dos anos 1970, o professor Roberto Santos era governador da Bahia biônico e Ernesto Geisel era o ditador de plantão. Na época ficou famosa uma foto (não me lembro o autor) com os cães da PM acossando Rômulo, o deputado Ulisses Guimarães, bravo presidente do MDB, e outros oposicionistas.


Me lembro de dois lances:


1 – Diante da prisão de alguns estudantes que participavam dos protestos contra a ditadura, Rômulo tentou em vão impedir que fossem levados no carro da polícia. Então, indignado, se jogou dentro da viatura para seguir preso com os companheiros manifestantes;


2 – De dedo em riste, Ulisses desafiou os PMs e seus cães, gritando: “Respeitem o presidente da oposição brasileira”.

Nenhum comentário: