segunda-feira, 2 de março de 2015

MIGUEL DO ROSÁRIO: NO BRASIL, INVESTIR EM MÍDIA ALTERNATIVA É A ÚNICA SAÍDA




(Ilustração: O Cafezinho)
Sem ação política, e ação política distribuída à população, através de investimentos maciços em mídias alternativas que reduzam o poder da mídia familiar, o governo vai continuar perdendo popularidade e sendo derrotado sistematicamente, em todas as frentes.
Sem ação política, e ação política distribuída à população, através de investimentos maciços em mídias alternativas que reduzam o poder da mídia familiar, o governo vai continuar perdendo popularidade e sendo derrotado sistematicamente, em todas as frentes. - See more at: http://www.ocafezinho.com/2015/03/02/investir-em-midia-alternativa-e-a-unica-saida/#sthash.Rw7ZU00N.dpuf


Por Miguel do Rosário, no seu blog O Cafezinho, postagem de hoje, dia 2 (sugestão do companheiro Geraldo Guedes, advogado em Brumado-Bahia)

Tenho novidades bem interessantes, quiçá explosivas, sobre a operação Lava Jato, e informações que jamais sairão na mídia.

Informações que nos ajudarão a entender os interesses políticos e econômicos por trás da operação.

Mas fica para o próximo post, que tentarei publicar ainda hoje, ao final da tarde.

Por enquanto, deixo apenas algumas opiniões.

Ninguém duvida que há um grupo querendo derrubar o governo; o que, admitamos, faz parte do jogo democrático.

Ninguém duvida também que este mesmo grupo está usando a Lava Jato com este objetivo.

Ninguém duvida, da mesma forma, que a mídia familiar, com seus tentáculos por todo o país, integra o núcleo duro deste grupo.

Hoje, por exemplo, a Folha publica uma entrevista com um advogado de 82 anos, com direito a chamada de capa, que não tem outro objetivo senão emparedar ainda mais a presidenta Dilma.

O advogado se posiciona fortemente contra a intenção do governo de não deixar as principais empresas de construção civil se desmancharem, provocando desemprego e um efeito dominó na economia brasileira.

Não há a mínima preocupação, nas falas do advogado, nem nas perguntas da Folha, sobre a questão social.

O advogado fala que a presidenta estaria incorrendo em “crime de responsabilidade” ao oferecer acordo de leniência às empreiteiras, numa tentativa de assustar Dilma.

Óbvio: a mídia já começou a buscar brechas para o impeachment.

É assim: ou Dilma deixa o país quebrar, o que levaria a um desgaste social e político que facilitaria o impeachment, daqui a um ou dois anos; ou ela não deixa o país quebrar, e leva o impeachment justamente por fazer isso.

Um desafio e tanto para um coração valente que, neste segundo mandato, ainda não demonstrou tanta valentia assim. Não há enfrentamento político contra a oposição, representada principalmente pela mídia.

A falta de enfrentamento faz o governo sofrer derrotas em série, na justiça, no MP, no Congresso, na imprensa, nas redes sociais, na opinião pública, nas ruas.

Quem não luta, perde.

Nenhum comentário: